O Marselha viu-se derrotado por 3-0 na receção ao Manchestetr City em partida do Grupo C da Liga dos Campeões, o mesmo do FC Porto, isto apesar de André Villas Boas ter apostado numa estratégia diferente daquela a que a sua equipa está habituada, na tentativa de contrariar o maior poderio do adversário.

No final da partida, o treinador português justificou a aposta num sistema com cinco defesas. "As equipas utilizam cinco defesas contra o Manchester City porque nos ajuda a controlar melhor a largura. Foi por isso que utilizei este sistema, mas acabámos por perder a bola com muita facilidade e eles aproveitaram bem para fazer os golos", começou por dizer.

Perante a insistência dos jornalistas, Villas Boas lembrou, em tom irónico, a diferença de poderio financeiro entre as duas equipas. "Vocês massacraram-me quando inovei contra o PSG e perdemos 0-4, mas não abusem. O Manchester City gastou mil milhões de euros, tem um fenómeno a treinador e joga muito bem. O Marselha não tem dinheiro para pagar ao Guardiola, por isso tem o Villas Boas e as suas táticas", atirou.

Sobre a situação do Marselha no grupo, onde se encontra no último lugar, ainda com zero pontos, o técnico luso reconheceu a importância dos dois embates que agora se seguem com o FC Porto. "Estamos com zero pontos, por isso os dois jogos com o FC Porto vão ser decisivos e fundamentais para as nossas aspirações. Seria bom também que o Manchester City vencesse as duas partidas que vai fazer contra o Olympiakos", explicou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.