O Paris Saint-Germain, que eliminou o RB Leipzig (3-0) esta terça-feira nas meias-finais, tornou-se no quinto clube francês de futebol a marcar presença numa final da Taça/Liga dos Campeões, desde a criação dessa competição em 1955.

Até agora, a única formação francesa a erguer o troféu foi o Olympique de Marselha, em 1993. Mas o Reims (1956 e 1959), o Saint-Étienne (1976), o Olympique de Marselha (1991, além daquela que venceu dois anos depois) e o Mónaco (2004), equipa do Principado de mesmo nome, mas que disputa o campeonato francês, já estiveram no jogo decisivo da maior prova de clubes do mundo, embora sem sucesso.

1956: Reims, o pioneiro

Na década de 1950, o Stade de Reims dominava o futebol francês com Raymond Kopa como grande destaque. O campeonato europeu de clubes tinha acabado de ser criado com o nome de Taça dos Campeões e o Reims teve a honra de disputar a primeira final, contra o Real Madrid.

Os dois clubes conheciam-se bem. Um ano antes, o Real Madrid tinha vencido o Reims por 2-0 no Parque dos Príncipes, em Paris, na final da Taça Latina, um torneio que, de certa forma, antecedeu a Taça dos Campeões Europeus.

Em junho de 1956, o Reims quase ergueu o seu primeiro título europeu. Chegou a estar a vencer por 2-0 no Parque dos Príncipes aos 11 minutos, mas acabou por perder por 4-3 para o grande Real Madrid do lendário Alfredo Di Stéfano.

1959: sem vingança para o Reims

Três anos depois, o Reims voltou à final e novamente teve que defrontar o Real Madrid, que conquistou os três primeiros títulos europeus. Kopa desta vez estava na equipa oposta, a formação espanhola.

O jogo foi disputado em Estugarda, na Alemanha, e a superioridade da equipa madrilena foi clara: 2-0.

1976: postes quadrados travam o Saint-Étienne

No dia 12 de maio de 1976, o Saint-Étienne de Jean-Michel Larqué defrontou o Bayern de Munique de Franz Beckenbauer na final da Taça dos Campeões Europeus em Hampden Park, Glasgow, Escócia, perante 65 mil adeptos.

O Saint-Étienne chegou à final da Liga dos Campeões após ter eliminado clubes como Glasgow Rangers, Dinamo de Kiev e PSV Eindhoven. Mas em duas ocasiões os 'Verts' viram os postes negar-lhes as intenções.

Daí surgiu a lenda dos 'postes quadrados' devido às bordas salientes daqueles ferros, que não eram iguais aos de hoje em dia (forma cilíndrica). Em França é praticamente essa a ideia daquela final, ofuscando o golo anulado do atacante alemão Gerd Müller por fora de jogo e até o golo da vitória do Bayern (1-0), marcado por Franz Roth, no segundo tempo (57).

1991: 1.ª tentativa do Olympique de Marselha

Em 1991, o Olympique de Marselha chegou à final da Taça dos Campeões Europeus pela primeira vez na sua história.

O 'Velho Continente' vivia um momento histórico turbulento, com o fim da União Soviética e Leste e Oeste travaram uma última batalha no futebol europeu, com o Estrela Vermelha de Belgrado contra a equipa do sul da França.

Na final disputada em Bari, Itália, diante de 56 mil pessoas, os dois clubes não marcaram nem no tempo regulamentar, nem no prolongamento. Nas grandes penalidades venceu o Estrela Vermelha de Robert Prosinecki, por 5-3, contra o Olympique de Marselha de Jean-Pierre Papin.

1993: Marselha e o único título de França

Em 1992, a Taça dos Clubes Campeões da Europa mudou de nome, passando a chamar-se Liga dos Campeões. E em 1993, a França fez história com seu primeiro título.

Depois de duas eliminatórias, o Olympique de Marselha disputou uma fase de grupos em que terminou em primeiro, vencendo o Glasgow Rangers, o Brugge e o CSKA Moscovo, garantindo a passagem para a final contra o poderoso AC Milan.

No dia 26 de maio de 1993, o Marselha, liderado por Didier Deschamps, venceu o Milan por 1-0, golo de cabeça de Basile Boli pouco antes do intervalo. O Marselha ficou mais tarde marcado por um escândalo de manipulação de resultados protagonizado pelo seu presidente Bernard Tapie, que custou à equipa a perda do seu último título nacional e uma queda para a segunda divisão francesa.

2004: FC Porto de Mourinho vence Mónaco

Na edição de 2003-2004, a segunda fase de grupos é substituída na Liga dos Campeões pelos oitavos de final.

O Mónaco de Didier Deschamps, que faz a sua estreia como técnico, impressiona na fase de grupos (8-3 contra o Deportivo La Coruña), bate o Lokomotiv Moscovo nos oitavos de final e depois surpreende ao eliminar o Real Madrid nos quartos de final e o Chelsea nas meias-finais.

A final em Gelsenkirchen, na Alemanha, é totalmente inesperada, com o Mónaco e o FC Porto, comandado pelo jovem técnico José Mourinho. A equipa portuguesa acabou sendo claramente superior e conquistou o título vencendo por 3-0.

Era o segundo título dos azuis e brancos, que tinham vencido a prova em 1987 (2-1 ao Bayern Munique) quando se chamava Taça dos Campeões. O Benfica tinha ganho dois, em 1960/61 e 1961/62. Ao todo, Portugal soma nove presenças na final da maior prova de clubes do Mundo, sete deles do Benfica, que perdeu cinco das finais disputadas.

Especial Liga dos Campeões: Acompanhe todas as decisões com o SAPO Desporto! 

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.