O FC Porto perdeu em Roma por 2-1, em partida a contar para a 1.ª mão dos oitavos de final da Champions. No entanto, os dragões saem vivos de Roma, depois do golo apontado por Adrián Lopez. Zaniolo bisou para o conjunto da casa.

Dois anos depois do 3-0 imposto no Olímpico (golos de Felipe, Corona e Layún) , em partida a contar para o playoff da Liga dos Campeões, o FC Porto estava de regresso à Cidade da Loba. Desta feita, para tentar conseguir conquistar um bom resultado que lhe desse boas perspetivas para a partida da segunda mão na Invicta.

Depois do sorteio ter colocado o FC Porto no caminho dos romanos, Totti, antigo capitão e o próprio treinador Eusebio Di Francesco reagiram com alguma sobranceria ao adversário que teriam pela frente, esquecendo-se, porventura, que o azuis e brancos se tinham imposto com tranquilidade na casa dos giallorossi em 2016/2017.

O FC Porto, nesta visita a Roma, não atravessava o melhor dos momentos na temporada. Os dois empates nas últimas duas partidas para o campeonato, aliado à lesão de Marega, faziam antever dificuldades perante o 6º. classificado da Série A - uma equipa que há bem pouco tempo foi goleada pela Fiorentina por 7-1 e que tem sido alvo de duras críticas em Itália.

No onze montado por Sérgio Conceição, órfão de Marega, Fernando Andrade juntou-se a Tiquinho Soares na frente de ataque. Otávio regressou à titularidade. Na Roma, no tridente ofensivo, os holofotes estavam apontados para Zaniolo, jovem de 19 anos, um espécie de 'João Félix' dos giallorossi. - Foi o primeiro jogador italiano nascido depois de 1 de janeiro de 1997 a estrear-se na Liga dos Campeões.

Com o FC Porto de Sérgio Conceição ainda à procura de olear o setor defensivo, com Pepe no centro da defesa e Militão na direita, foi a Roma nos minutos iniciais que tentou explorar o lado esquerdo da defesa portista e assim colocar em xeque a baliza de Casillas.

O primeiro lance digno desse registo teve lugar ao minuto 27´. Num cruzamento de Kolarov, Casillas sacudiu e na recarga Cristante atirou para nova defesa do guardião do FC Porto.

Na primeira parte, os azuis e brancos revelaram alguma incapacidade para construir desde trás e precipitação na hora de sair com a bola jogada. O FC Porto deu o primeiro sinal de perigo ao minuto 29´, mas o remate de Fernando acabou nas mãos de Mirante.

Ao minuto 37´, teve lugar a melhor situação de perigo da primeira parte, num remate ao ferro de Dzeko. O dianteiro tirou Militão da frente e com um estoiro quase fez o primeiro para os donos da casa.

Os primeiro tempo terminava, com o FC Porto em superioridade na posse de bola (55% contra 45%), mas com a Roma mais perigosa no ataque.

No segundo tempo, foram os azuis e brancos que entraram mais consistentes e a imprimir maior verticalidade no seu jogo. O golo esteve na cabeça de Danilo, ao minuto 58´. Canto de Alex Telles, com o médio a cabecear de cima para baixo e com a bola a passar a rasar o poste.

Ao minuto 67´, foi Casillas a fazer a defesa da noite, a remate de Pellegrini, depois de um cruzamento atrasado de Cristante.

Esse lance acabou por servir de mote para a Roma inaugurar o marcador e por intermédio do 'miúdo Zaniolo'. Dzeko recebeu a bola na área e de costas para a baliza serviu o italiano de 19 anos, que não falhou frente a Casillas (70´). Sérgio Conceição reagiu no banco e fez entrar Adrián López.

Mas sete minutos volvidos, Zaniolo bisava e deixava o FC Porto numa situação muito complicada na contenda. Dzeko voltou a estar no lance. Disparou ao poste e na recarga estava lá o jovem dianteiro a fazer mais um tento.

Enredado numa espécie de 'KO técnico' na eliminatória, o FC Porto não atirou a toalha ao chão,  e acabou por reduzir dois minutos volvidos por Adrián Lopez. Passe longo de Felipe, Soares falha o primeiro remate e Adrián, numa finalização de classe, fez o 2-1.

O golo galvanizou o conjunto portista que foi para cima dos romanos. O tento do empate esteve nos pés de Herrera num grande pontapé, que saiu a rasar o ferro da baliza à guarda de Mirante.

Antes antes do final, Casillas segurou o resultado, numa nova defesa a remate de Kolarov.

O FC Porto somou a primeira derrota na edição deste ano da Champions, mas sai vivo de Roma. A eliminatória está assim em aberto para o encontro da segunda mão no estádio do Dragão.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.