Com esta vitória, o Real aproveitou o empate (1-1) entre o AC Milan e o
Marselha, em San Siro, onde o argentino e ex-portista Lucho Gonzalez
“facturou”, para se isolar no topo da classificação, com 10 pontos,
contra oito dos italianos e sete dos gauleses.

No Grupo A, o Bordéus garantiu o primeiro lugar ao vencer a Juventus por 2-0, deixando em aberto quem vai acompanhar o campeão francês para a fase seguinte, tendo em conta a vitória do Bayern por 1-0 frente ao Maccabi Haifa, em Munique.

Com essa vitória, "arrancada a ferros", o campeão alemão mantém acesa a chama do apuramento, já que passou a contar sete pontos, contra oito dos italianos: tudo se via decidir a 8 de Dezembro, em Turim.

No Grupo B, os turcos do Besiktas protagonizaram a surpresa da jornada, ao baterem os actuais vice-campeões europeus, o Manchester United, por 1-0, com a curiosidade do golo ter sido marcado pelo ex-sportinguista Rodrigo Tello.

O Manchester United não perdia em casa para a Liga dos Campeões desde 2005, quando o “grande” AC Milan foi vencer por 1-0 a Old Trafford, na primeira “mão” dos oitavos-de final da competição (golo do avançado argentino Hernan Crespo, aos 78 minutos, a 23 de Fevereiro de 2005).

Depois desse desaire, a equipa inglesa somou 23 jogos sem conhecer a derrota - 17 dos quais venceu -, uma série sem paralelo no futebol europeu.

Para encontrar a última derrota caseira do Manchester United na fase de grupos é preciso recuar a 2001, quando a equipa de Alex Ferguson foi derrotada em casa pelo Deportivo da Corunha, por 3-2.

Apesar da derrota com o Besiktas, o Manchester United manteve a liderança isolado, com 10 pontos, mais três do que o campeão alemão, o Wolfsburg, que, com Ricardo Costa no “onze”, não evitou a derrota por 2-1 na deslocação a Moscovo, frente ao CSKA, sendo alcançado pelos russos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.