O Benfica vai enfrentar terça-feira o decisivo encontro com o Zenit, da segunda “mão” dos oitavos de final da Liga dos Campeões em futebol, obrigado a vencer para não repetir a série “negra” de 2007/2008.

Depois do triunfo caseiro por 4-1 sobre o Nacional, a 11 de fevereiro, os “encarnados” vão já em quatro jogos consecutivos sem ganhar, registo que não se verificava desde 2008/2009, quando a equipa era liderada pelo espanhol Quique Flores.

Então, o Benfica somou dois empates – um com sabor a derrota, pois caiu da Taça de Portugal, no reduto do Leixões, no desempate por grandes penalidades (4-5) – e dois desaires, sendo que a série atual é de um empate e três derrotas.

Caso falhe o triunfo faze ao Zenit, que ditaria o “adeus” aos quartos de final da Liga dos Campeões, face ao desaire por 3-2 em São Petersburgo, Jorge Jesus igualará um registo que não se verifica desde a transição de Camacho para Chalana.

Então, o espanhol Jose António Camacho demitiu-se após três jogos seguidos sem ganhar (1-1 em Alvalade, com o Sporting, 1-2 na receção ao Getafe, para a Taça UEFA, e 2-2 perante a União de Leiria) e, nos dois primeiros jogos, Fernando Chalana também não conseguiu vencer, em março de 2008.

Chalana estreou-se com um desaire caseiro face ao Getafe (0-1), que selou o adeus à Taça UEFA, nos “oitavos”, e, depois, empatou 1-1 no reduto do Marítimo, para o campeonato.

Após cinco jogos sem ganhar, o Benfica voltou a vencer a 30 de março, um mês e três dias após o anterior triunfo (2-0 ao Moreirense, nos “oitavos” da Taça de Portugal), ao receber e bater o Paços de Ferreira por 4-1, com um “bis” de Rui Costa.

A atual série negativa começou precisamente perante o Zenit, frente ao qual o Benfica perdeu por 3-2, num relvado impróprio para jogar futebol, isto depois de ter estado a ganhar e ter chegado à igualdade a dois, após a reviravolta dos russos.

Um golo de Shirokov ditou o segundo desaire da época para os “encarnados”, que, volvidos cinco dias, perderiam a invencibilidade no campeonato, ao caírem por 1-0 em Guimarães, no primeiro jogo da época sem golos.

Na ronda seguinte do campeonato, o Benfica voltou a não conseguir vencer, ficando-se por um “nulo” em Coimbra, frente à Académica, desbaratando, em poucos dias, os cinco pontos de avanço que tinha sobre o FC Porto.

Sexta-feira, no Estádio da Luz, os “encarnados” ainda deram a volta ao FC Porto (0-1 para 2-1), com um “bis” de Óscar Cardozo, mas acabaram derrotados por 3-2: Maicon selou o golo portista aos 87 minutos, em posição irregular.

Para não repetir o “feito” da dupla Camacho/Chalana, o Benfica tem de vencer terça-feira o Zenit, sendo que fazê-lo por 1-0, 2-1 ou por dois ou mais golos de diferença vale um lugar nos quartos de final da “Champions”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.