Vadim Vasilyev, vice-presidente do Mónaco, defendeu esta quarta-feira que “o futebol não pode ficar refém” de situações como as três explosões que visaram e atingiram na terça-feira o autocarro do Borussia Dortmund.

“Vamos acompanhar os jogadores para ultrapassar esta situação da melhor forma. O futebol não pode ficar refém deste tipo de situações. O jogo vai mesmo realizar-se hoje”, assegurou o dirigente do Mónaco, que vai disputar com os alemães o jogo da primeira mão dos quartos de final da Liga dos Campeões, com início às 17:45 (hora de Lisboa).

Vasilyev elogiou o comportamento dos adeptos franceses e alemães, que receberam a notícia do adiamento do encontro já no interior do estádio do Dortmund, reafirmando que “o futebol será mais forte do que este ato ignóbil”.

A equipa do Borussia Dortmund estava a caminho do seu recinto, quando o autocarro em que seguia foi atingido por três explosões, das quais resultaram dois feridos, o jogador espanhol Marc Bartra, que já foi operado ao pulso direito, e um polícia.

Horas depois do incidente, o chefe da polícia local, Gregor Lange, disse que as explosões que atingiram o autocarro do Borussia Dortmund visavam especificamente o veículo que transportava a equipa alemã.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.