O Benfica vai discutir com o PSV Eindhoven o acesso às meias-finais da Liga Europa em futebol, 17 anos e cinco falhanços após a última presença no acesso à final de uma competição europeia.

Em 1992/93, na Taça das Taças, os “encarnados” chegaram pela 12.ª e última vez às “meias”, acabando por ceder perante o Parma (2-1 em casa e 0-1 fora), isto após uns memoráveis “quartos”, face ao Bayer Leverkusen (1-1 na Luz e 4-4 fora).

Depois, o Benfica falhou cinco vezes consecutivas nos quartos de final, face a AC Milan (1994/95) e FC Barcelona (2005/2006), na Liga dos Campeões, Fiorentina (1996/97), na Taça das Taças, Espanyol (2006/2007), na Taça UEFA, e Liverpool (2009/2010), já na Liga Europa.

Bicampeão europeu (1960/61 e 61/62), o Benfica vai agora defrontar o clube que lhe roubou o “tri” em 1987/88, num “amargo” desempate por grandes penalidades (6-7), em Estugarda, no qual só Veloso falhou.

Antes, em 1974/75, o Benfica já tinha sido eliminado pelo PSV (0-0 fora e 1-2 na Luz), nos “quartos” da Taça das Taças, e, depois, em 98/99, na fase de grupos da “Champions”, a equipa “encarnada”, com três golos de Nuno Gomes, ganhou 2-1 em casa e empatou 2-2 fora, mas ambos os clubes “caíram”.

O balanço, em termos de resultados (uma vitória para cada lado e dois empates), é “nulo”, mas o que permanece na memória são as recordações da final de 1988, que valeu aos holandeses o seu único ceptro de campeões da Europa.

Na altura, o PSV, de Guus Hiddink, tinha jogadores como Ronald Koeman, Kieft, Van Breukelen, Vanenburg e Van Aerle - que, meses depois, ajudaram a Holanda a conquistar o seu único cetro europeu -, bem como Lerby, Gerets ou Heintze.

Agora, 23 anos depois, o Benfica procura a reabilitação europeia, o que então também acontecia, já que os “encarnados” disputavam a final da principal competição europeia pela primeira vez após a “era” Eusébio.

Na temporada transacta, os “encarnados” já tinham estado nos “quartos”, mas, então, o treinador Jorge Jesus privilegiou o campeonato, que viria a ganhar, e o Liverpool (2-1 em casa e 1-4 fora) levou a melhor.

Desta vez, e ao contrário do PSV, o Benfica não tem a preocupação do campeonato, pois já perdeu o título para o FC Porto e tem o segundo lugar matematicamente assegurado, o que pode ser uma grande vantagem, sobretudo para a segunda “mão”.

A equipa da Luz falhou esta época na Liga dos Campeões, ao não conseguir ultrapassar a fase de grupos, mas ainda não perdeu na Liga Europa, tendo afastado Estugarda (2-1 em casa e 2-0 fora) e Paris Saint-Germain (2-1 em casa e 1-1 fora).

Por seu lado, o conjunto holandês fez todo o seu percurso na prova, tendo afastado o Sibir Novosibirsk, no “play-off”, superado um grupo com Sampdoria, Metalist Kharkiv e Debrecen e eliminado ainda Lille e Glasgow Rangers, este último o “carrasco” do Sporting.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.