Resumo do Jogo: Valeu a eficácia dos gauleses

O FC Porto quebrou uma série invencível que durava há 18 encontros consecutivos, ao ser derrotado pelos franceses do Lyon por 1-0, em jogo da primeira mão dos oitavos de final da Liga Europa. Foi o primeiro desaire dos dragões desde dezembro, quando foram derrotados pelo Atlético de Madrid, na última jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões.

Pepe operado após choque violento. "É uma ferida muito feia", diz Conceição
Pepe operado após choque violento. "É uma ferida muito feia", diz Conceição
Ver artigo

Um choque involuntário entre Pepe e Paquetá interrompeu o jogo logo aos 45 segundos, com ambos os jogadores a serem assistidos pelas equipas médicas, regressando posteriormente ao relvado com ligaduras na cabeça.

Uma primeira parte muito equilibrada, que terminou com um nulo no marcador. O FC Porto foi para o intervalo com uma ligeira vantagem na percentagem de posse de bola (51%-49%) e mais cantos (5-2). Os remates à baliza foram os mesmos (7-7).

No segundo tempo, Sérgio Conceição alterou o sistema tático, trocando o 4-3-3 pelo 4-4-2, com Pepê a recuar um pouco no terreno e Taremi a jogar ao lado de Evanilson.

O FC Porto não entrou bem na etapa complementar e o Lyon marcou aos 59 minutos. Os comandados de Sérgio Conceição tinham marcado golos em todos os jogos realizados no Estádio do Dragão esta época.

Os dragões terão oportunidade para corrigir esta derrota por 1-0, no jogo da segunda mão, em França, que se realiza em 17 de março.

As melhores imagens

Momento-chave: de ligadura na cabeça, Paquetá resolveu o jogo

O FC Porto não entrou bem na etapa complementar e o Lyon marcou aos 59 minutos por intermédio de Lucas Paquetá. O golo foi inicialmente anulado por fora de jogo, mas depois de análise do VAR foi validado, verificando-se que Dembélé estava em posição legal no início do lance.

Polémicas: VAR de um ataque de nervos

Mehdi Taremi cabeceou após o cruzamento de João Mário, a bola ressaltou na mão de Lucas Paquetá e o árbitro assinalou grande penalidade. Depois de ouvir o VAR, o espanhol José Sánchez foi ver as imagens e recuou na decisão.

Cinco minutos depois, Mehdi Taremi caiu na área e o árbitro pediu para o avançado iraniano se levantar, levando os adeptos, jogadores e equipa técnica portistas aos desespero.

Em tempo de compensação, Toni Martínez assistiu Chancel Mbemba, que colocou a bola na baliza de Anthony Lopes, mas o VAR deu a indicação ao árbitro de que o defesa portista esta em posição irregular.

Figura: Diogo Costa evitou um resultado mais pesado

O guarda-rede do FC Porto está mais confiante entre os ferros da baliza portista, mais seguro no entendimento com a defesa e recrimina quando alguém da defesa falha, mesmo que seja o capitão Pepe. Dubois e Dembélé testaram a atenção do guarda-redes no arranque da partida e mostrou-se ainda decisivo ainda antes do intervalo quando se opôs a um remate de Demebélé, e a uma recarga de Ekambi.

As reações

Conceição diz que "empate seria o resultado justo" e comenta penálti revertido: "É uma questão de critério do árbitro"

Anthony Lopes: "Há 51 anos que um clube francês não ganhava aqui"

Treinador do Lyon: "Merecemos vencer, mas nada está decidido"

Vitinha diz que "cansaço" do FC Porto não é "desculpa", Galeno lembra que "isto ainda não acabou"

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.