Um remate enquadrado foi claramente insuficiente para o Sporting almejar a manter o primeiro lugar do grupo D e a manter-se longe dos 'tubarões' que cairam da Liga dos Campeões.

A equipa dos 'leões' saiu da Áustria com uma dura derrota de 3-0 naquela que foi a segunda derrota na fase de grupos da Liga Europa, que termina com 12 pontos, menos um que o LASK Linz que ficou no primeiro lugar.

O Jogo: Com o apuramento garantido, foi dia de folga para os titulares

Silas deu descanso a vários jogadores habitualmente titulares na equipa do Sporting, uns por obrigação - Bruno Fernandes cumpriu castigo, Neto estava lesionado - outros por opção - Maximiano, Doumbia, Wendel e Bolasie ficaram no banco Ristovski, Mathieu e Vietto não foram sequer convocados.

Com o apuramento já garantido depois da vitória da última jornada frente ao PSV, Silas aproveitou para lançar as segundas linhas do Sporting e coloca-las à prova, num jogo que para o apuramento já não contava.

Os 'leões' até foram a primeira equipa a fazer um remate enquadrado, quando Camacho aos sete minutos rematou à figura do guardião do LASK, Schlager. O problema é que este remate não teve réplica. Nenhuma. Foi aliás, e segundo as estatísticas no site da UEFA, o único remate enquadrado que o Sporting realizou durante toda a partida.

E como diz o 'ditado' mais conhecido do futebol: "quem não marca, sofre".

Ao minuto 23, a defesa do Sporting ficou apática na marcação de uma canto por Michorl e Trauler saltou sem oposição e cabeceou para o primeiro do LASK.

Apesar do golo o Sporting não dava sinais de grande perigo e assim sendo, era a equipa da casa que o ia criando. E ao cria-lo ainda colocou os 'leões' numa posição mais difícil na partida.

Aos 34', Klauss surge em posição perigosa para fazer o segundo e Renan faz-se mal à bola, acabando por atingir o jogador do LASK com a perna direita: vermelho direto, penalti para a equipa da casa.

Maximiano entrou para a equipa que se encontrava agora a jogar com menos um e à procura de conseguir revirar o jogo, missão que se tornou mais difícil com a conversão bem sucedida de Klauss na marcação da grande penalidade, aos 38 minutos.

O resultado não sofreu alterações e as equipas regressaram aos balneários com o 2-0 no marcador.

No regresso Silas, fez entrar Doumbia para o lugar de Jesé, mas o Sporting continuou apático, sem conseguir criar situações de perigo, à parte da oportunidade de Rafael Camacho que aos 63 minutos conseguiu ultrapassar Schlager, mas que adiantou demasiado e acabou por lançar à malha lateral.

Do outro lado, o LASK continuava a carregar forte e a criar oportunidades de golo, aos 61' Potzmann atirou a rasar o poste da baliza de Max, aos 70' Ranftl atirou para uma grande defesa de Maximiano e aos 82' o LASK conseguiu mesmo voltar a marcar por Raguz, mas o lance foi invalidado por posição irregular.

Maximiano quase conseguia sair da segunda parte sem sofrer golos, com um par de boas defesas aos 86 e 90+1 minutos, mas Raguz, que já tinha visto um golo anulado, tinha outras ideias.

Aos 90+3 minutos, o austríaco recebe a bola de Holland e remata para o terceiro golo do LASK que fechava a derrota do Sporting na Áustria.

Os poucos remates e as segundas linhas não foram suficientes para o Sporting garantir pelo menos o empate que deixava a equipa de Alvalade no primeiro lugar do grupo D e com o estatuto de cabeças-de-série no sorteio dos 16-avos da próxima segunda-feira.

Desta forma, o Sporting não consegue fugir e pode encontrar pelo caminho um dos 'tubarões' que viram a sua queda da Champions 'amparada' pela Liga Europa.

O Momento: Expulsão de Renan

Se com o jogo que o Sporting estava a fazer, a reviravolta já parecia difícil, com a expulsão de Renan Ribeiro aos 34 minutos a tarefa só se tornou mais difícil.

A forma como o guardião se faz ao lance não é a melhor e apesar da 'dupla penalização' (vermelho + penalti) ser discutível, Renan podia (e devia) ter-se feito ao lance de outra forma.

Com dois golos de desvantagem e a jogar com 10, a vitória ou o empate viram-se cada vez mais longe dos 'leões'.

O Pior: As segundas linhas do Sporting

Silas apostou nas segundas linhas do plantel do Sporting, numa partida em que a sua equipa 'apenas' jogava para a liderança do grupo, uma vez que o apuramento, objetivo principal, já estava garantido desde a última jornada.

A aposta é compreensível, mas a atuação dos jogadores deixa muito a desejar e vem revelar a falta de opções de qualidade no plantel 'leonino' e a falta que os titularissimos fazem.

O Melhor: Maximiano

Foi chamado a campo num momento que já era difícil para o Sporting: a jogar com menos 1o e a sofrer um golo assim que entra. Ainda assim, teve um par de boas defesas que evitaram que a vitória austríaca fosse maior, tendo sido o melhor 'leão' em campo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.