O Arouca conseguiu esta tarde um saboroso empate (1-1) na sua estreia em competições europeias, ao empatar no terreno do Heracles, em jogo a contar para a primeira mão da terceira pré-eliminatória de acesso à Liga Europa.

Num jogo onde foi amplamente dominado pelo adversário holandês, o golo ao minuto 90 de Gegé, num cruzamento desviado por um defesa, caiu verdadeiramente do céu para dar um final feliz à formação arouquense. A equipa portuguesa sentiu sempre muitas dificuldades em Almelo, contra um Heracles que revelou sempre maior dinâmica ofensiva e capacidade para romper e criar desequilíbrios. Se a derrota pela margem mínima já era um mal menor, o empate foi um excelente resultado e que deixa o Arouca na frente da eliminatória.

Na primeira aparição nas provas europeias, a equipa comandada por Lito Vidigal sentiu muitos problemas desde o apito inicial. Os anfitriões submeteram a formação arouquense a uma intensa pressão, remetendo os estreantes a uma papel de submissão. Mais do que isso, o Arouca evidenciou também algum nervosismo e muita incapacidade para responder e sair para o ataque. O setor ofensivo do Arouca era inexistente, tal como a coesão defensiva, que nesta altura da época mostrou ainda muitas falhas.

Com efeito, o Heracles ameaçou por quatro vezes o golo na baliza do Arouca só na primeira parte. Aos 2', Navratil quase marcou para o Heracles, depois de uma fífia de Gegé; aos 23', foi a vez de Bracalli negar o golo aos holandeses com uma grande defesa a um remate de fora da área de Pelupessy; seis minutos volvidos foi novamente Navratil a falhar isolado perante o guardião brasileiro; por fim, aos 37', Gladon atirou por cima no coração da área, com a defesa do Arouca completamente desmembrada. Lito Vidigal não se cansou de dar indicações aos seus jogadores durante o primeiro tempo, mas a equipa não se conseguia adaptar ao ritmo elevado e à dinâmica ofensiva da formação holandesa.

As ameaças da primeira parte foram então concretizadas no início da segunda parte. Quando estavam decorridos 53 minutos, o avançado Gladon assinou o golo do Heracles, comprovando a superioridade da equipa de John Stegeman.

O Heracles remeteu-se então a uma postura mais calculista e expectante, preferindo procurar e esperar pelo erro do Arouca. A equipa arouquense tentou então, de forma timida e algo incipiente, responder e partir em busca do empate.

Com muita felicidade e sem grande clarividência, o estreante europeu conseguiu mesmo o que tanto procurava e logo ao cair do pano, quando a reação holandesa já era praticamente impossível. Num desequilíbrio criado no flanco direito do ataque, Gegé tenta o cruzamento e este acaba por sofrer um desvio que enganou o guarda-redes do Heracles. Estava feito assim o 1-1, num empate histórico para o Arouca. Depois, perante os nervos dos intantes finais, Lito Vidigal acabaria por ser expulso do banco de suplentes.

Com este resultado, o Arouca consegue dar um passo importante rumo ao playoff de acesso à Liga Europa, tendo a vantagem dos golos fora neste empate. A segunda mão da eliminatória está marcada para o dia 4 de agosto, em Arouca.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.