O Benfica conseguiu esta quinta-feira ultrapassar pela nona vez uma meia-final europeia de futebol, à 13.ª tentativa, ao bater em casa o Fenerbahçe por 3-1, na segunda mão das meias-finais da Liga Europa, após o 0-1 de Istambul.

Depois de dois desaires consecutivos nesta fase, frente ao Parma, em 1993/94, na Taça das Taças, e ao Sporting de Braga, em 2010/2011, na Liga Europa, os “encarnados” voltaram aos sucessos, sendo este o primeiro desde 1989/90.

Além dos desaires contra os italianos e os compatriotas “arsenalistas”, o Benfica só caiu em meias-finais mais duas vezes, frente a Ajax (Taça dos Campeões de 1971/72) e Carl Zeiss Jena (Taça das Taças de 1980/81).

Os apuramentos do Benfica são bem mais numerosos, sendo que as primeiras cinco meias-finais conduziram a outras tantas finais, todas na Taça dos Campeões, competição que o “onze” de Bela Guttman conquistaria em 1960/61 e 61/62.

Em 1960/61, os “encarnados” jogaram o acesso à final (3-2 ao FC Barcelona) com o Rapid Viena, que bateram na Luz por claros 3-0 (golos de Coluna, Águas e Cavém), para, depois, empatarem 1-1 em Viena, onde o “capitão” José Águas voltou a faturar.

Um ano volvido, o último adversário antes do 5-3 ao Real Madrid, em Amesterdão, foi o Tottenham. Dois golos de José Augusto e um de António Simões valeram um triunfo por 3-1 na Luz, enquanto José Aguas marcou em White Hart Lane, no desaire por 2-1.

Na época seguinte, o Benfica começou a disputar as “meias” fora, conseguindo um empate a zero em Roterdão, frente aos holandeses do Feyenoord, que, depois, cederam na Luz por 3-1, selados por Eusébio, José Augusto e Santana.

Os “encarnados” falharam as “meias” em 1963/64, mas voltaram em 64/65 e para seguirem em frente, com um total de 5-0, face ao Vasas: 1-0 em Budapeste, com um tento de José Augusto, e 4-0 em casa, onde “bisaram” Eusébio e José Torres.

Na década de 60, o Benfica ainda chegaria e ultrapassaria uma quinta meia-final, em 1967/68, face à Juventus, que o “onze” de Otto Glória venceu por 2-0 na Luz, com golos de Torres e do “Pantera Negra”, autor igualmente do 1-0 de Turim.

A sexta foi em 1971/72 e, pela primeira vez, o conjunto da Luz, liderado pelo inglês Jimmy Hagan, ficou pelo caminho: um golo, apontado por Sjaak Swart na primeira mão, em Amesterdão, foi o suficiente para o Ajax rumar à final da Taça dos Campeões.

Foi, então, necessário esperar quase uma década por nova presença na antecâmara da final: em 1980/81, agora na Taça das Taças, o Benfica começou por perder por 2-0 na ex-RDA, com o Carl Zeiss Jena, de nada valendo, na Luz, o golo de Reinaldo (1-0).

Apenas dois anos volvidos, na primeira época do sueco Sven-Goran Eriksson, os “encarnados” chegaram às “meias” da Taça UEFA e qualificaram-se, perante o Universitatea de Craiova: 0-0 na Luz e 1-1 na Roménia, onde marcou Zoran Filipovic.

Pela primeira vez sob o comando de um treinador português (Toni, atualmente no Tractor), o Benfica chegou em 1987/88 a uma sétima meia-final da Taça dos Campeões e selou o sexto apuramento para uma final, de novo perante romenos. Após um empate a zero em Bucareste, Rui Águas “bisou” no 2-0 caseiro.

Em plena segunda “era” Eriksson, os “encarnados” chegaram pela oitava vez às meias-finais da Taça dos Campeões, em 1989/90, valendo-lhes, desta vez, a mão de Vata, que selou o 1-0 caseiro, depois da derrota por 2-1 em França, com o Marselha.

Após oito apuramentos em 10 meias-finais, o Benfica falhou duas consecutivas, primeiro em 1993/94, na Taça das Taças, face ao Parma, de novo com Toni ao comando.

O triunfo caseiro por 2-1, com golos de Isaías e Rui Costa, não chegou, face ao tento apontado em Itália pelo argentino Nestor Sensini, aos 75 minutos, num jogo em que o central brasileiro Mozer deixou o Benfica reduzido a 10 unidades logo aos 20.

Depois de 16 épocas sem chegar às meias-finais, o “onze” já comandado por Jorge Jesus atingiu esta fase da Liga Europa em 2010/2011, disputando o acesso à final com o Sporting de Braga, no primeiro duelo entre portugueses na Europa.

Um golo do brasileiro Jardel e outro do paraguaio Óscar Cardozo, este último de livre direto, valeram um triunfo caseiro por 2-1, que foi insuficiente para chegar à final, uma vez que os “arsenalistas” venceriam em casa por 1-0.

Desta vez, o “onze” de Jesus conseguiu o apuramento, ao dar a volta ao 0-1 de Istambul, com um triunfo caseiro por 3-1, selado com um golo do argentino Nicolas Gaitan e, depois do empate dos turcos, um “bis” de Óscar Cardozo.

- Presenças do Benfica em meias-finais europeias:

Época     Prova     Adversário                    Resultados          Desfecho

60/61     TC        Rapid Viena, Aut              3-0C, 1-1F          Apurado

61/62     TC        Tottenham, Ing                3-1C, 1-2F          Apurado

62/63     TC        Feyenoord, Hol                0-0F, 3-1C          Apurado

64/65     TC        Vasas, Hun                    1-0F, 4-0C          Apurado

67/68     TC        Juventus, Ita                 2-0C, 1-0F          Apurado

71/72     TC        Ajax, Hol                     0-1F, 0-0C          Eliminado

80/81     TT        Carl Zeiss Jena, RDA          0-2F, 1-0C          Eliminado

82/83     TU        Universitatea Craiova, Rom    0-0C, 1-1F          Apurado

87/88     TC        Steaua Bucareste, Rom         0-0F, 2-0C          Apurado

89/90     TC        Marselha, Fra                 1-2F, 1-0C          Apurado

93/94     TT        Parma, Ita                    2-1C, 0-1F          Eliminado

10/11     LE        Sporting de Braga, Por        2-1C, 0-1F          Eliminado

12/13     LE        Fenerbahçe, Tur               0-1F, 3-1C          Apurado

- Presenças das outras equipas lusas em meias-finais europeias:

Época     Prova     Equipa portuguesa   Adversário                    Resultados          Desfecho

63/64     TT        Sporting            Lyon, Fra                     0-0F, 1-1C 1-0N     apurado

73/74     TT        Sporting            Magdeburgo, RDA               1-1C, 1-2F          Eliminado

83/84     TT        FC Porto            Aberdeen, Esc                 1-0C, 1-0F          Apurado

86/87     TC        FC Porto            Dínamo Kiev, URS              2-1C, 2-1F          Apurado

90/91     TU        Sporting            Inter Milão, Ita              0-0C, 0-2F          Eliminado

93/94     LC        FC Porto            FC Barcelona, Esp             0-3F                Eliminado

02/03     TU        FC Porto            Lázio, Ita                    4-1C, 0-0F          Apurado

          TU        Boavista            Celtic, Esc                   1-1F, 0-1C          Eliminado

03/04     LC        FC Porto            Deportivo, Esp                0-0C, 1-0F          Apurado

04/05     TU        Sporting            AZ Alkmaar, Hol               2-1C, 2-3apF        Apurado

10/11     LE        FC Porto            Villarreal, Esp               5-1C, 2-3F          Apurado

10/11     LE        Sporting de Braga   Benfica, Por                  1-2F, 1-0C          Apurado

- “Ranking”:             Apuramentos    Eliminações    Presenças

 1. Benfica                    9             4               13

 2. FC Porto              5             1                6

 3. Sporting              2             2                4

 4. Boavista              0             1                1

  . Sporting de Braga          1             0                1

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.