- Júlio César – Sem hipótese no primeiro golo, acabou por também não ser testado durante quase todo o jogo.

- Maxi Pereira – Sentiu muitas dificuldades para travar Gerrard e Babel, que pisavam os seus terrenos com frequência. Com a expulsão do holandês conseguiu subir de rendimento, mas não foi capaz de ser a alavanca ofensiva que se revelou contra o Marselha.

- Luisão – Seguro. O capitão encarnado mostrou-se muito concentrado e foi muitas vezes obrigado a dobrar Maxi. A única mancha foi o cartão amarelo aos 29 minutos e uma fuga de Torres aos 76 minutos, que quase gelava a Luz.

- David Luiz – Secou Fernando Torres e isso diz bem da exibição do central brasileiro, sempre atento e seguro. Contudo, não se aventurou tanto no ataque como é seu hábito.

- Fábio Coentrão – Muito interventivo no apoio ao ataque, mas algo pressionado na defesa com a acção de Kuyt. O holandês deu-lhe algumas dores de cabeça, mas saiu com saldo francamente positivo do relvado.

- Javi García – O médio espanhol sofreu também nos minutos iniciais, mas o tempo ajudou-o a reencontrar a sua posição e a autoridade no meio-campo. Na segunda parte, esteve em grande plano a ajudar a defesa e a empurrar a equipa para a frente. Um dos melhores na Luz.

- Ramires – Teve o golo na cabeça, aos 23, mas atirou por cima. Um dos melhores a transportar jogo e a bloquear as subidas de Johnson. Acabou como lateral-direito e não comprometeu no lugar de Maxi.

- Carlos Martins – Demorou a entrar na dinâmica da equipa e foi um dos principais problemas para … Jorge Jesus. O médio pareceu sempre demasiado nervoso, pouco acutilante e sem ideias para desequilibrar a organização defensiva do Liverpool.

- Di María – Criou perigo assim que voltou ao flanco esquerdo. O argentino estava com os olhos dos ingleses concentrados em si e não se intimidou nos dribles. Nem sempre inspirado, mas empenhado.

- Aimar – Sofreu o primeiro penálti de forma inteligente, obrigando Insua à falta, mas esteve alguns furos abaixo da sua bitola. Só com a saída de Carlos Martins e o regresso ao seu lugar mostrou o perfume do seu futebol.

- Cardozo – O paraguaio esteve muito perdulário, apesar da ficha de jogo lhe creditar os dois golos. Tacuara falhou várias oportunidades na primeira parte, mas reencontrou a sua eficácia da marca da grande penalidade e já soma 30 golos esta temporada.

- Nuno Gomes – Pouco em jogo. A primeira escolha de Jesus para o assalto à baliza de Reina

- Ruben Amorim – O médio veio devolver o equilíbrio que a equipa parecia estar a perder com a saída de Maxi Pereira.

- Airton – Uma falta inteligente a travar um contra-ataque do Liverpool.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.