O FC Porto, além da superioridade demonstrada na primeira mão das meias-finais da Liga Europa de futebol, tem também a seu favor as estatísticas, já que nunca foi eliminado depois de ter ganho o primeiro jogo por três ou mais golos.

Os “dragões” deram um passo de gigante com vista à presença na final da Liga Europa, ao receberem e golearem os espanhóis do Villarreal por 5-1, depois de terem chegado ao intervalo a perder no Dragão por 1-0.

Agora, para a segunda mão, o FC Porto parte com uma vantagem confortável de quatro golos e também com o factor psicológico favorável, já que também na ronda anterior golearam em casa o adversário, o Spartak Moscovo, pelo mesmo resultado e foram a Moscovo impor nova goleada (5-2).

No seu já longo historial de competições europeias, onde se contam a conquista de duas Ligas dos Campeões (a primeira ainda como Taça dos Campeões) e uma Taça UEFA, o FC Porto nunca permitiu aos seus adversários recuperar de desvantagens iguais ou superiores a três golos.

A única vez em que esteve perto de permitir uma reviravolta do adversário ocorreu em 1977/78, na extinta Taça das Taças, quando os “dragões” golearam no estádio das Antas o Manchester United por 4-0 e depois foram perder a Inglaterra por 5-2.

Apesar do resultado volumoso, o FC Porto esteve pouco tempo em risco na eliminatória, já que, ao 1-0, respondeu de imediato com um golo de Seninho, complicando seriamente a tarefa dos jogadores ingleses, que, com aquele tento sofrido, tinham de marcar mais cinco golos para seguir em frente e não sofrer mais nenhum.

O Manchester ainda sonhou, pois chegou ao intervalo a vencer por 3-1 e ainda marcou o 4-1, mas Seninho cotou-se como o herói desta segunda eliminatória e reduziu para 4-2, “liquidando” as esperanças dos ingleses, que venceram por 5-2.

No ano seguinte, na antiga Taça dos Campões, os “dragões” quase cometiam a proeza de virar uma eliminatória depois de terem sido goleados na primeira mão.

Nesta época, o FC Porto disputou a primeira eliminatória da Taça dos Campeões diante o AEK Atenas e perdeu na Grécia por pesados 6-1, resultado que deixava praticamente arrumada a questão.

Nas Antas, os “dragões” até chegaram ao intervalo a perder 1-0, mas deram a volta ao marcador e ainda chegaram a ameaçar a equipa grega, tendo chegado aos 4-1, insuficientes para dar a volta à eliminatória.

Com um historial bem menos recheado e mais recente, o Villarreal sofreu na quinta-feira a mais pesada derrota em competições europeias, cumpridos que estão 105 jogos, pelo que não tem qualquer histórico de viradas de eliminatórias em circunstâncias idênticas.

Até ao jogo com o FC Porto, o pior resultado registado tinha sido um 4-1 sofrido na última temporada diante os alemães do Wolfsburgo, em embate dos 16 avos de final da Liga Europa e que ditou a eliminação do conjunto espanhol, após empate 2-2 na primeira mão.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.