Um golo de Rodrigo Battaglia, aos 105+2', permitiu esta quinta-feira ao Sporting apurar-se para os quartos de final da Liga Europa, depois de ter chegado aos 90' a perder por 2-0 frente aos checos do Viktoria Plzen.

No final da partida, Jorge Jesus não escondeu que a sua equipa passou por bastantes dificuldades e criticou o estado do relvado na Doosan Arena.

"Foi um jogo muito desgastante, não só para os jogadores, mas também para mim. Tinha sentido que esta equipa iria criar-nos imensos problemas, que era perigosa no espaço aéreo e nos cruzamentos. O objetivo foi atingido, era importante estarmos nos quartos de final. Falhámos muitos golos. Até uma grande penalidade. Sofremos muito, tivemos de correr muito. Alguns jogadores mostraram dificuldade em acompanhar o ritmo da equipa, como o Petrovic e o André Pinto", começou por dizer Jorge Jesus à SIC Notícias.

"Este campo estava impraticável. Quem está a ver na televisão não dá para analisar. Eu acho que a UEFA devia pôr uma norma em que no treino de véspera, a equipa que joga em casa não pode treinar aqui. Duas equipas a treinar aqui na véspera, isto parecia um batatal, não um campo de futebol. Um jogo dos oitavos de final da Liga Europa… A UEFA tem tanta coisa e não se preocupa com a qualidade do jogo?", questionou o técnico.

"Chegámos aos quartos de final e agora são equipas de Champions. Equipas com muito poder, como o Sporting. É prestigiante para os jogadores, para o Sporting, para mim… Mas eu já estou habituado. Já não podemos olhar para trás, vamos ter de pôr as fichas todas em todos os jogos. Para o jogo com o Rio Ave já temos o William e o Coates, mas temos de pensar jogo a jogo. Temos de ver como é que os jogadores estarão depois deste jogo, como o caso do Mathieu e Fábio Coentrão", sentenciou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.