Quatro treinadores portugueses estão na luta pela conquista da Liga Europa em futebol, que é retomada na quarta-feira, depois de ter sido interrompida em março, devido à pandemia de covid-19, quando se disputavam os oitavos de final.

Numa prova que perdeu os quatro clubes lusos (Benfica, FC Porto, Sporting e Sporting de Braga) nos 16 avos de final, os técnicos Pedro Martins (Olympiacos) e Nuno Espírito Santo (Wolverhampton), que se estão a defrontar, Luís Castro (Shakhtar Donetsk) e Paulo Fonseca (Roma) continuam em competição.

‘Carrasco’ do Benfica, que afastou com um triunfo por 2-1 em Kharkiv e um empate 3-3 na Luz, o Shakhtar, de Luís Castro, está bem encaminhado para os quartos de final, após o triunfo por 2-1 face ao Wolfsburgo, na Alemanha, na primeira mão dos ‘oitavos’.

No duelo de técnicos lusos, a vantagem é para já da ‘mais portuguesa’ das equipas estrangeiras, o ‘Wolves’, que empatou a um tento na Grécia, onde o suplente Pedro Neto apontou o tento do conjunto da ‘Premier League’.

Por seu lado, a Roma não chegou a disputar o primeiro embate com o Sevilha, em Espanha, já devido à pandemia do novo coronavírus, e vai decidir tudo num único jogo, já na Alemanha, onde se vai disputar uma inédita 'final a 8'.

Os quatro técnicos lusos procuram um feito apenas conseguido, no que respeita a treinadores nacionais ao serviço de formações estrangeiras, por José Mourinho, que, em 2016/17, levou o Manchester United ao título.

Os ‘red devils’, relegados para a segunda competição da UEFA face ao quinto lugar na edição 2015/16 do principal campeonato inglês, ganharam a prova ao baterem na final os holandeses do Ajax por 2-0, com tentos de Pogba e Mkhitaryan.

Na lista de vencedores da prova, criada em 2019/10, para suceder à Taça UEFA, consta o nome de outro treinador luso, André Villas-Boas, que levou o FC Porto ao título, numa final 100% portuguesa com o Sporting de Braga (1-0), em 2010/11.

Quanto a jogadores, e além dos que representam as equipas lideradas pelos técnicos portugueses, um deles já tem os ‘dois pés’ nos ‘quartos’, o ex-‘leão’ Bruno Fernandes, que ajudou o Manchester United a golear fora o LASK por 5-0.

O médio internacional luso, substituído aos 78 minutos, não faturou – marcaram Ighalo, Daniel James, Mata, Greenwood e Andreas Pereira -, depois de o ter feito na receção aos austríacos (2-1), na fase de grupos, ao serviço do Sporting.

Pelo contrário, André Silva e Gonçalo Paciência, avançados do Eintracht Frankfurt, estão, praticamente, fora, após o desaire caseiro por 3-0 face aos suíços do Basileia.

Em vantagem, estão ainda o Basaksehir, que afastou o Sporting nos 16 avos de final, após o 1-0 ao FC Copenhaga, e o Bayer Leverkusen, ‘carrasco’ do FC Porto, que ganhou por 3-1 na casa do Rangers, o conjunto que eliminou o Sporting de Braga.

Além do duelo entre Sevilha e Roma, também não chegou a arrancar o outro embate entre italianos e espanhóis, mais precisamente entre Inter de Milão e Getafe, que também vão decidir a eliminatória em jogo único, igualmente em solo germânico.

A pandemia da Covid-19 inviabilizou a disputa de dois jogos da primeira mão e de todos os da segunda, inicialmente previstos para 19 de março.

A 'final a 8' vai disputar-se em Dusseldorf, Colónia, Duisburgo e Gelserkirchen, de 10 a 21 agosto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.