O treinador do Manchester United, Ole Gunnar Solskjær, mostrou-se naturalmente desiludido após a derrota na final da Liga Europa, lamentando que a sua equipa tenha perdido por apenas "um pontapé".

"O balneário está desiludido. Isto é o futebol. Às vezes tudo se decide num pontapé e essa é a diferença entre ganhar e perder. Temos de aprender com este jogo e com o que estamos a sentir para que não aconteça outra vez. Não jogámos tão bem como podemos. Começámos bem, mas eles marcaram no primeiro remate à baliza. É frustrante sofrer um golo de um lance de bola parada", começou por dizer.

Ainda assim, o United conseguiu chegar ao empate, mas acabou derrotado nas grandes penalidades. "Pressionámos e conseguimos marcar. Depois do empate, não controlámos o jogo nem dominámos como queríamos. Eles dificultaram a nossa tarefa, fecharam os espaços apesar de termos tido mais bola. Não criámos muitas oportunidades. Este não é o momento de apontar o dedo, mas quando não conquistas um troféu, é porque não fizeste tudo bem. Estamos a melhorar e cada vez mais perto de ganhar. Ficámos a um remate de ganhar um troféu", lamentou o técnico norueguês.

Solskjær reconheceu que a temporada acabou por não ser positiva para o United, que volta a terminar sem qualquer troféu conquistado, mas promete que os 'Red Devils' voltarão mais fortes na próxima época. "Temos o desejo de voltar no próximo ano e de melhorar. Se esta época foi de sucesso? Não. Temos de melhorar, é simples. Fizemos uma boa temporada, depois de um início difícil. Não tivemos pré-época e perdemos três dos primeiros seis jogos. Encurtámos a diferença para o topo na Liga e chegámos a esta final. Mas é preciso ganhar as finais para as épocas serem boas", terminou.

Do lado dos vencedores, Unai Emery destacou o trabalho e o empenho dos seus jogadores do primeiro ao último minuto e garantiu que a sua equipa não treinou penáltis, apesar de não ter falhado nenhum dos 11 que bateu no desempate por pontapés da marca de grande penalidade.

"Os jogadores tiveram uma boa mentalidade. Fizemos um grande percurso nesta competição e um bom jogo na final frente a uma enorme equipa. Soubemos competir e sofrer. Acabámos o jogo melhor que o Man. United. Pensava que iríamos resolver o jogo antes dos penáltis. Os penáltis não são uma lotaria, é preciso ter uma mentalidade forte para os bater. Os jogadores foram fabulosos", sublinhou.

O técnico espanhol explicou ainda como viveu o desempate por penáltis. "Procuro dar todas as condições aos jogadores para que conheçam o adversários e para executarem a nossa ideia. Superaram-se perante a dificuldade. Como vi os penáltis? Aprendi com um jogador do Almería que marcava em todos os treinos e falhou num amigável. Os penáltis são para os momentos decisivos. Este ano não treinámos penáltis e marcámos todos, até o guarda-redes. Foi incrível e maravilhoso", assinalou.

A fechar, agradeceu a toda a estrutura do clube. "Estou orgulhoso por Villarreal, pelo presidente que não pôde estar aqui, pelo projeto estável que é sustendo pelo Fernando Roig Negueroles. E orgulho por representar a Liga espanhola. Sentimos muito carinho das pessoas, fico satisfeito por todas elas", concluiu.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.