O selecionador francês de futebol, Didier Deschamps, disse esta quarda-feira que não guarda rancor a Karim Benzema pelas declarações que fez sobre si e admite voltar a convocar o avançado se tal for para o bem da equipa.

“Se considerar que é bom para a seleção convocar Karim [Benzema], eu faço-o”, disse Didier Deschamps, em entrevista publicada pelo Le Parisien, acrescentando que só toma decisões “por razões desportivas” e que “a seleção está acima de tudo”.

O internacional francês do Real Madrid não voltou a vestir a camisola dos ‘bleus’ desde outubro de 2015, após ter sido implicado num processo de chantagem, envolvendo um vídeo de cariz sexual, ao seu colega Mathieu Valbuena.

Karim Benzema, depois de ter sido deixado de fora da lista de convocados para o Europeu2016, em França, conquistado por Portugal na final disputada com os gauleses, acusou o selecionador Didier Deschamps de ter cedido a pressões racismo, devido às suas origens argelinas.

Ao Le Parisien, Didier Deschamps assegurou que não guarda rancor a Karim Benzema e disse que outros jogadores que também o criticaram não foram afastados da lista de convocados por isso.

“Uma seleção não é dizer este agrada-me e este não”, disse ainda Didier Deschamps, acrescentando que Karim Benzema “continua a ser um dos melhores avançados franceses da atualidade”.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.