O futebolista português Éder disse hoje que vai continuar no Lille na presente temporada, frisando também que não recebeu nenhuma proposta de clubes nacionais ou internacionais, depois da conquista do Euro2016 ao serviço de Portugal.

"Acho que vou continuar no Lille. Tenho quatro anos de contrato e estou muito satisfeito, portanto, em relação a abordagens não tive nada. O meu telefone, praticamente, são as pessoas a parabenizar e, pronto, é dentro disso", começou por dizer o avançado da equipa das 'quinas' à margem de um evento de uma marca desportiva.

Sobre o futuro da seleção e uma possível conquista do Mundial2018, Eder salientou que Portugal tem argumentos para sonhar, mas lembrou que o importante agora é saborear o feito.

"Nós temos qualidades para sonharmos e acho que tem que ser dessa forma. Primeiro sonhar e depois trabalhar. Acho que o importante é desfrutar do momento que estamos a viver e depois definir metas. Acabamos de ser campeões", reiterou.

Sobre o tento marcado na final do Euro2016 frente aos gauleses, o avançado, de 28 anos, lembrou a promessa que fez antes de partir para o europeu, ressalvando que o troféu erguido tem muito mais valor.

"O golo é muito importante. Para mim sabe muito mais o golo marcado do que ser o melhor marcador. Eu prefiro aquele golo, aquela vitória, aquela taça, até se fosse meio golo", explicou.

A terminar, o 'herói' da seleção portuguesa admitiu que sentiu o seu lugar em risco antes da convocatória, depois das críticas que recebeu por parte dos adeptos.

"Ainda não estava nada definido, a convocatória ainda não tinha saído e eu, pronto, estava a fazer o meu trabalho com esperança que fosse convocado. Nos particulares fui criticado, mas acho que dei o meu melhor. Estava confiante", concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.