A irritação de Kylian Mbappé no passado sábado, ao ser substituído pelo técnico Thomas Tuchel na goleada por 5-0 sobre o Montpellier é uma mancha na campanha triunfal do PSG no Campeonato Francês. Um novo capítulo do distanciamento entre as duas personalidades, antes do confronto contra o Nantes, esta terça-feira (4) pela 23.ª jornada da competição.

Há algo que não flui na grande temporada do PSG, líder da Ligue 1 com 12 pontos de vantagem sobre o Olympique de Marselha, qualificado para os oitavos de final da 'Champions', para a final da Taça da Liga e para os 'quartos' da Taça de França.

"Não são imagens boas, mas não somos o único clube que vive este tipo de situações. Não estou irritado, mas estou triste porque não era necessário. Mas vou continuar assim, a tomar decisões desportivas. Não jogamos ténis, jogamos futebol, temos que ter respeito por toda a gente", afirmou Tuchel na conferência de imprensa, após a partida de sábado, quando questionado sobre a irritação de Mbappé ao ser substituído.

Quando faltam duas semanas para dos oitavos de final da Liga dos Campeões contra o Borussia Dortmund, o calendário do PSG inclui, nesta semana, uma visita ao Nantes e a recepção do Lyon no Parque dos Príncipes, dois jogos complicados, num momento interno turbulento do clube parisiense.

Festa de anos de Neymar mexeu com Tuchel: "Dá motivos para falarem mal de nós"
Festa de anos de Neymar mexeu com Tuchel: "Dá motivos para falarem mal de nós"
Ver artigo

De acordo com a imprensa francesa, Mbappé e Tuchel conversaram no domingo, dia dois de fevereiro, para esclarecer os desentendimentos de uma relação que já sofreu com outros episódios similares desde que o alemão assumiu o comando técnico do PSG.

Em outubro de 2018, antes da vitória por 2-0 sobre o Marselha, Tuchel puniu o jogador, assim como o médio Adrien Rabiot, ex-PSG, por se terem atrasado para uma reunião pré-jogo, deixando Mbappé no banco de suplentes no clássico.

Mais recentemente, Mbappé queixou-se de ter começado no banco na goleada por 5-0 sobre o Brugge, para a Liga dos Campeões. "Queria entrar de início. Pensei que seria titular. A decisão é do treinador e há que aceitá-la. Quis voltar a demonstrar que é difícil prescindir de mim", disse depois o atacante de 21 anos, numas declarações que causaram muita polémica.

Na altura, Christophe Dugarry comentou o caso e disse que a companhia de Neymar não está a fazer bem ao internacional francês. Para Dugary, Mbappé devia procurar outras amizades, sob pena de se perder na carreira.

"Creio que está a Neymarizar-se. Preferia que saísse com [Idrissa] Gueye, [Ander] Herrera ou Di Maria. É menos divertido, é mais divertido estar com Neymar, mas bem... Como disse, temo que o sonho acabe para este jovem, sinto que as coisas podem mudar", atirou.

Naquele dia, Mbappé respondeu ao técnico com O seu futebol, entrando na partida e marcando três golos.

O equilíbrio entre o ambicioso Mbappé, ávido por quebrar recordes, e Tuchel, que quer proteger a sua jovem estrela e, ao mesmo tempo, dar mais oportunidades em campo a outros jogadores, é complexo.

"É melhor ele sair de campo irritado do que a sorrir. Isso mostra a sua vontade de continuar a jogar e a marcar golos", explicou o central do PSG, Presnel Kimpembe.

"É difícil sair, mas é preciso compreender que há outros jogadores que querem entrar", completou o médio argentino Angel Di Maria.

Na véspera da partida contra o Nantes, sem Neymar, que contraiu uma lesão de última hora na zona das costelas, facilitará o trabalho de Tuchel, pelo menos por alguns dias.

Jogos da 23:ª jornada do Campeonato francês:

- Terça-feira:

Mónaco - Angers

Lille - Rennes

Nantes - PSG
- Quarta-feira:

Toulouse - Strasbourg

Montpellier - Metz

Nîmes - Dijon

Lyon - Amiens

Reims - Nice

Brest - Bordéus

Saint-Etienne - Olympique de Marselha

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.