O internacional francês Dimitri Payet considerou hoje que não tem de justificar a pressão exercida sobre os ingleses do West Ham para regressar aos gauleses do Marselha, a troco de 30 milhões de euros.

“Não tenho de justificar o meu comportamento. Se quis mudar era porque já não me sentia muito bem no West Ham, clube onde estava”, disse, durante a sua apresentação como reforço do Marselha, respondendo a um jornalista inglês.

Payet revelou que “houve uma discussão olhos nos olhos” com o treinador dos ‘hammers’, Slaven Bilic, mas não quis adiantar mais pormenores, já que prefere “saborear” a chegada a Marselha.

Sobre a rutura com o West Ham, que em 2015 pagou 15 milhões de euros ao Marselha pela sua contratação, prefere falar um dia “quando for necessário”, revelando que “o braço de ferro começou há muito tempo” para deixar o clube inglês.

“Tive um ano excecional no clube e com os adeptos. Esta história não terminou como desejava, mas guardo boas memórias do West Ham”, concluiu.

O West Ham foi severo na despedida: “Expressamos uma sincera deceção por Dimitri Payet não ter mostrado o mesmo entusiasmo e respeito que o clube e os adeptos lhe deram, particularmente quando lhe foi proposto no último ano um lucrativo contrato de cinco anos”.

Payet deixou o Marselha em 2015 para rumar ao West Ham, realizando uma temporada muito positiva, que o levou à titularidade da seleção francesa no Euro2016, a França, perdendo a final para Portugal.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.