O futebolista português João Moutinho integra a equipa do Los Angeles FC, que este ano vive a primeira época de existência na Liga norte-americana (MLS), e mostra-se “feliz” pela aposta no futebol nos Estados Unidos.

O lateral, de 20 anos, revelou à agência Lusa, numa entrevista por telefone antes do arranque da temporada nos Estados Unidos, no sábado, que a experiência “tem sido muito boa”, não só pela “muita evolução” dentro de campo, como pela “cidade lindíssima, onde está sempre sol e bom tempo”, em que tem a oportunidade de viver.

Ao ter chegado a um clube cujo primeiro ano de funcionamento será 2018, o defesa explicou que o plantel teve “de se conhecer e criar rotinas”, o que aconteceu “em pouco tempo, com uma evolução muito grande e a criação de rotinas”.

Para a temporada, não existe um objetivo definido, embora o clube tenha sido criado “para ganhar títulos”. “Não interessa se é a estreia ou já cá andamos há vários anos. Mas temos de pensar jogo a jogo, não vale a pena pensar já no fim da época”, atirou.

A equipa vai disputar 34 jogos durante a fase regular antes do início dos ‘play-offs’, destinados às melhores equipas da Conferência Este e Conferência Oeste, da qual fazem parte os clubes de Los Angeles.

Na primeira jornada, os estreantes têm uma tarefa complicada em mãos, com a visita, no domingo, ao reduto do Seattle Sounders, que em 2017 foi vice-campeão, num jogo em que o jogador luso deve alinhar de início, de acordo com a imprensa norte-americana.

“Vamos lá tentar jogar o nosso jogo, e vamos para ganhar. Queremos entrar em todos os jogos para ganhar e fazer o nosso jogo, manter a bola no chão, jogar entrelinhas e conseguir criar espaços”, revelou o português.

Apesar de já se sentir integrado no futebol dos Estados Unidos, o defesa luso, um produto dos escalões jovens do Sporting, “não estava à espera” que a ascenção fosse “tão rápida e de ser a primeira escolha no ‘draft’”, um sorteio anual dos jogadores graduados das equipas universitárias e que não integram a ‘MLS’.

João foi a primeira escolha depois de uma época em que se destacou no Akron Zips, equipa universitária do estado do Ohio, o que o levou a ser escolhido pelos debutantes do campeonato, que considera ser uma liga com “bastante visibilidade, mesmo que isso não seja tão notório na Europa”.

“Na nossa equipa, por exemplo, há quatro ou cinco jogadores que vão jogar o Mundial2018. Esta liga está em crescimento constante”, justificou.

Entre as estrelas do plantel está o mexicano Carlos Vela, contratado aos espanhóis da Real Sociedad, mas também o próprio treinador, o ex-selecionador dos Estados Unidos Bob Bradley.

Bradley, que venceu a Liga em 1998 com os Chicago Fire, já passou pela Europa e, na seleção norte-americana, venceu a Gold Cup de 2007 e foi segundo classificado na Taça das Confederações de 2009.

“O Bob é muito experiente, tem um conhecimento muito profundo do jogo. Neste pouco tempo que estou aqui, já me ajudou muito e tenho evoluído bastante”, apontou João Moutinho.

Apesar de morarem ambos em Los Angeles, ainda não se cruzou com João Pedro, médio ex-Vitória de Guimarães que alinha nos ‘rivais’ Los Angeles Galaxy, a equipa mais titulada da ‘MLS’, mas espera fazê-lo em breve, nem que seja no próximo ‘dérbi’.

No campeonato, que em 2017 foi vencido pelo Toronto FC, jogam cinco portugueses: além de Moutinho e João Pedro, também Pedro Santos (Columbus Crew), Gerso (Sporting Kansas City) e Rafael Ramos (Chicago Fire).

A 23.ª temporada da Liga norte-americana de futebol arranca no sábado com o Toronto a receber o Columbus Crew e o New England Revolution a visitar o Philadelphia Union, na Conferência Este, e o Houston Dynamo a defrontar o Atlanta United, na Conferência Oeste.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.