O Maxaquene registou a sua segunda derrota consecutiva no Moçambola e terceira nas provas futebolísticas em curso no país. Este fim-de-semana os tricolores deslocaram-se a vila do Songo, na Província de Tete, aonde foram derrotados pelo HCB por 2-0.

A turma da Hidroeléctrica de Cahora Bassa conseguiu transformar as oportunidades que criou em golo, tendo inaugurando o activo a passagem do minuto 43 por intermédio de Fabrice.

O Maxaquene chegou a apontar o golo de empate aos 53 minutos por intermédio de Calima, num lance em que o juiz auxiliar José Mula validou, mas que não colheu anuência do árbitro Filimão Filipe invalidou o golo, acabando por admoetando o avançado Mauricío com um amarelo.

O segundo golo da turma orientada por Wedosn Nyerenda foi apontado por Mucuapel ao minuto 62 da partida,  a bater ao guarda-redes Simplex.

No final do jogo, o treinador Chiquinho Conde queixou-se da arbitragem, afirmando que o vencedor do jogo foi o árbitro Filimão Filipe, que segundo o técnico condicionou o desempenho da sua equipa.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.