A atual campeã da Europa, Itália, empatou a um golo na receção à Suíça, no Grupo C de qualificação para o Mundial de futebol de 2022, e parte para a última jornada sem ter a qualificação direta garantida.

A 'squadra azzurra' podia ter agarrado a vitória aos 90 minutos, mas o internacional italiano Jorginho, o seu maior especialista a bater grandes penalidades, rematou por cima da barra.

O penálti resultou de uma falta desnecessária do lateral-esquerdo Ulisses Garcia, português naturalizado suíço, lançado em campo a render o titular Ricardo Rodríguez, aos 69 minutos, que carregou pelas costas Domenico Berardi, quando este não estava sequer em posição de finalizar.

A Suíça foi a primeira equipa a marcar, aos 11 minutos, pelo lateral direito Silvan Widmar, mas a Itália empatou ainda na primeira parte, aos 36, também pelo seu lateral direito, Giovanni Di Lorenzo.

Com este resultado, a decisão de quem se apura diretamente e quem vai ao play-off fica para a derradeira jornada, com a Itália a ter de se deslocar à Irlanda do Norte, e a Suíça a receber a Bulgária.

Se italianos e suíços, que somam os mesmos 15 pontos, na liderança partilhada do Grupo C, vencerem, será a diferença de golos marcados e sofridos a determinar quem fica em primeiro e em segundo lugar, sendo que a Itália tem 13 golos marcados e dois sofridos contra 11 marcados e dois sofridos por parte da Suíça.

A Itália tem essa vantagem de dois golos sobre os helvéticos, mas esta vai defrontar a Bulgária em casa, enquanto os italianos terão de se deslocar à Irlanda do Norte, onde vão ter pela frente uma equipa aguerrida e sempre difícil de bater.

De resto, no outro jogo do grupo, a Irlanda do Norte recebeu e venceu a Lituânia por 1-0, graças a um autogolo do central lituano Benas Satkus, aos 18 minutos.

No Grupo F, a Dinamarca, já apurada diretamente para o Catar e em fase de descompressão, recebeu e venceu as Ilhas Faroé por 3-1, enquanto a Áustria, quiçá a maior deceção do grupo, venceu em casa Israel por 4-2, num jogo que já não teve qualquer influência na decisão sobre os dois primeiros classificados, tendo em conta que, horas antes, a Escócia tinha "carimbado o passaporte" para o "play-off" do Mundial'2022, ao vencer na Moldávia por 2-0.

Finalmente, no Grupo I, a Polónia, treinada pelo português Paulo Sousa, garantiu, pelo menos, o apuramento para o play-off, ao vencer em Andorra por 4-1, enquanto a Inglaterra deu um passo decisivo para assegurar a qualificação direta para o Mundial ao golear a Albânia, em Wembley, por 5-0. Na partida entre Andorra e a Polónia assistiu-se a uma situação insólita, de um jogador ter sido expulso por uma falta cometida aos 13 segundos, o avançado andorrano Ricard Fernández, que ao disputar uma bola com o central polaco Kamil Glick o atingiu com uma violenta cotovelada, que não deu alternativa ao árbitro senão exibir-lhe o cartão vermelho.

Com este triunfo, a uma jornada do fim, a seleção dos três leões lidera com 23 pontos, seguida da Polónia, com 20, da Albânia, com 15, da Hungria, que venceu na receção a São Marino (4-0), com 14, e de Andorra, com seis.

Na última jornada, a Inglaterra desloca-se a São Marino para defrontar a seleção mais fraca do grupo - é última, sem qualquer ponto -, enquanto a Polónia, que recebe a Hungria, só tem possibilidades meramente matemáticas, e de todo improváveis, para assegurar o apuramento direto, precisando para isso que os ingleses perdessem e que aplicassem uma goleada à seleção magiar.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.