Portugal e Espanha tiveram sortes diferentes nos últimos minutos da derradeira jornada da fase de grupos da qualificação europeia para o Mundial2022 de futebol.

A equipa das ‘quinas’ caiu nos ‘play-offs’, com o golo de Aleksandar Mitrovic, aos 90, que colocou a Sérvia no campeonato do mundo pela terceira vez, enquanto Morata selou o 16.º apuramento espanhol, 11.º seguido, aos 86 da receção à Suécia.

Em Sevilha, no Estádio Olímpico, ‘La Roja’ sofreu para levar de vencida a Suécia, por 1-0, ganhar o Grupo B e 'carimbar' a presença no Qatar, relegando a Suécia para o perigo dos 'play-offs' entre os 10 segundos classificados e duas seleções provenientes da Liga das Nações.

Não foi brilhante, mas ainda assim bem melhor do que Portugal, que 'entrou' a ganhar, com um golo no segundo minuto, mas acabou por perder por 2-1, mesmo no 'cair do pano', quando lhe bastava empatar.

Há sete anos que Portugal não perdia em casa nas qualificações e entrou no Estádio da Luz, em Lisboa, como amplo favorito, estatuto que reforçou com o golo ‘madrugador’ de Renato Sanches.

A vitória e o primeiro lugar no Grupo A pareciam muito bem encaminhados mas a seleção lusa enredou-se na gestão do resultado, o que correu mal.

A Sérvia não abdicou da luta, empatou aos 33 minutos, por Tadic, e adiantou-se, aos 90, por Mitrovic, inexplicavelmente 'solto' nas costas da defesa adversária. Com mérito, a Sérvia batia pela primeira vez Portugal.

Um desfecho que fica, no entanto, 'marcado' por um golo mal anulado a Portugal no jogo disputado na Sérvia, que então teria valido a vitória e agora o apuramento luso.

Depois do 'nulo' caseiro ante Portugal, a República da Irlanda fechou em grande o grupo, com 3-0 no Luxemburgo. Deu para 'fugir' ao quarto lugar, o que é francamente animador para os irlandeses.

Duffy (67), Ogbene (75) e Robinson (88) apontaram os golos dos visitantes.

A Sérvia venceu o agrupamento grupo, com 20 pontos e segue para a fase final do Mundial. Portugal é segundo, com 17, e vai aos 'play-offs', em março. Seguem-se na tabela República da Irlanda (nove), Luxemburgo (nove) e Azerbaijão (um).

Em Sevilha, a história teve um final feliz para a Espanha, o que não esconde que a ‘La Roja' foi sempre pouco perigosa e não 'convenceu' ninguém.

A 'chave do sucesso' estava no banco - Alvaro Morata entrou aos 59 (para o lugar do sportinguista Sarabia) e aos 86 marcou, a recargar um primeiro 'tiro' de Dani Olmo à trave da baliza sueca.

O empate chegaria para o apuramento dos espanhóis, mas pairou sempre no ar o perigo potencial de um golo dos nórdicos, que no entanto sempre falharam o acerto no contra-golpe.

A Espanha termina o grupo com 19 pontos e a Suécia com 15. Fora das contas do Mundial2022 já estavam a Grécia (10), a Geórgia (sete) e o Kosovo (cinco).

Para despedida, a Grécia, com o benfiquista Vlachodimos na baliza, empatou 1-1 em casa com o Kosovo. Os golos foram de Masouras (44) para os helénicos e de Rrahmani (76) para os kosovares.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.