Um golo do craque Neymar, no último minuto da 1.ª parte do prolongamento, tinha o Brasil encaminhado para eliminar a Croácia nos quartos de final do Mundial2022, mas os vice-campeões do Mundo empataram aos 117 minutos, em contra-ataque. O jogo foi decidido nas grandes penalidades onde a Croácia foi mais eficaz, marcando os quatro que bateu, contra o Brasil que falhou dois.

Os canarinhos, cinco vezes campeões do Mundo, sentiram muitas dificuldades para bater Livakovic, um monstro na baliza dos vice-campeões do Mundo. O guardião croata defendeu o remate de Rodrygo e viu Marquinhos atirar ao poste para colocar a sua equipa nas meias-finais, onde vai defrontar o vencedor entre Países Baixos e Argentina.

Os croatas dão-se bem com os penáltis: afastaram o Japão dessa forma nos oitavos de final, algo que já tinham feito por duas ocasiões na fase a eliminar do Mundial2018, onde perderam a final com a França.

Veja as melhores imagens do jogo

Para este jogo, Tite repetiu o onze que venceu a Coreia do Sul por 4-1, nos oitavos de final, para assim tentar a terceira vitória diante dos croatas em três jogos entre ambos, e a a 12.ª presença nas meias-finais de Mundiais.

Os vice-campeões mundiais chegaram até aqui depois de uma vitória nas grandes penalidades diante do Japão, ou seja, disputaram mais 30 minutos e ainda o desgaste mental do desempate por penáltis.

No Estádio Cidade Educação, a Croácia tentava ferir o Brasil em lances de ataque rápido ou contra-ataque, enquanto os canarinhos usavam o seu futebol habitual, de passes curtos, penetrações e tentativas de ganhar vantagem em lances de um para um. Vinícius Júnior desequilibrava na esquerda, Raphinha estava menos em jogo na direita. Neymar era quem recuava para tentar jogo junto dos médios, com Richarlison a tentar fixar os centrais.

A primeira oportunidade foi da Croácia, num lance em que Perisic não conseguiu emendar no coração da área um centro de Pasalic, aos 13 minutos.

Aos 21 o Brasil criou a primeira situação de golo. Vini Jr. combinou com Neymar e depois usou a posição de pivot de Richarlison para rematar de primeira, mas a bola bateu nas pernas de um defensor. Grande jogada!

Até ao final do primeiro tempo, destaque para um amarelo a Danilo, que atingiu Juranovic na cabeça num lance perigoso (os croatas queriam vermelho), e outro para Brozovic, após falta dura sobre Neymar.

Um monstro chamado Livakovic

O segundo tempo não foi diferente do primeiro: o Brasil com mais bola, a forçar o golo de todas as formas, a Croácia a tentar sair em ataques rápidos.

Apesar de mais perigoso, os jogadores da canarinha iam esbarrando na grande exibição do guarda-redes Livakovic. Começou logo aos 48 minutos, num corte de Gvardiol que quase dava autogolo, não fossem as pernas do guardião croata; aos 50 é novamente Livakovic a negar o golo a Neymar, após boa combinação do craque com Richarlison. O 'Pombo' que viria a dar lugar a Pedro no ataque canarinho.

Tite mexeu na equipa, tirando Raphinha e Vinícius Júnior para lançar Rodrygo e Pedro, mas a tarde era de Livakovic. Aos 66, saiu aos pés de Lucas Paquetá para negar o golo ao médio. Aos 77, nova grande defesa, agora a remate de Neymar.

O Brasil terminou em cima da área croata, para tentar resolver o jogo antes do tempo extra mas Livakovic estava numa tarde de inspiração. No final dos 90 minutos, o Brasil tinha feito oito remates à baliza de Livakovic, contra zero da Croácia. Alison era um espetador na outra ponta do campo.

Neymar derruba a muralhas mas a felicidade é de Dalic

No tempo extra a primeira grande oportunidade do jogo foi da seleção dos Balcãs: Petkovic livrou-se de dois brasileiros e serviu Brozovic mas o remate do médio saiu torto e para fora.

De tanto tentar 'sambar' que o Brasil finalmente fez a sua dança. No minuto de compensação da 1.ª parte do prolongamento, Neymar tabelou com Paquetá, recebeu do médio, passou por Livakovic e rematou, quase sem ângulo, para o 1-0.

Um golo que permitiu a Neymar igualar Pelé como máximo goleador da Seleção brasileira, com 77 tentos.

Zlatko Dalic apostou tudo no ataque, com as entradas dos avançados Ante Budimir e Orsic, já depois de ter lançado Majer, Vlasic e Petkovic no tempo regulamentar. Mexidas que deram frutos.

O Brasil, que tinha de ter bola, saiu para o ataque na procura do 2-0. E foi numa perda de bola no ataque que vai sofrer o empate... em contra-ataque. Incrível!

A Croácia subiu no terreno pelo lado esquerdo o ataque, em superioridade numérica, Orsic centrou atrasado para o remate de Petkovic que desviou em Marquinhos e traiu Ederson. Os vice-campeões do Mundo marcavam no primeiro e único remate enquadrado com a baliza.

O jogo foi decidido nas grandes penalidades onde Vlasic, Majer, Modric, Orsic marcaram para a Croácia, Casemiro e Pedro para a canarinha. Mas Rodrygo e Marquinhos falharam na seleção brasileira, que assim fica sem conseguir o tão ambicionado Hexa. 4-2 para a Croácia nos penáltis.

Nas meias-finais, a Croácia vai defrontar o vencedor do Países Baixos-Argentina.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.