Mais um dia de Campeonato do Mundo, mais uma polémica; depois de a FIFA ter proibido a utilização de braçadeiras de capitão com as cores do arco-íris e a inscrição 'ONE LOVE' (símbolo do combate à homofobia), chegando a ameaçar com um cartão amarelo os capitães que envergassem essa braçadeira, desta vez é a camisola da seleção da Bélgica a visada da pouca tolerância do organismo que rege o futebol mundial.

O equipamento alternativa da seleção belga tem inscrito no colarinho a palavra 'LOVE', sendo que a letra 'O' é representada pelo símbolo do famoso festival belga 'Tomorrowland', evento que promove a diversidade, igualdade e inclusão.

A FIFA recusou esta iniciativa, alegando que não é permitido ter publicidade inscrita na camisola (neste caso concreto o 'O' do Tomorrowland). Assim, se quiserem utilizar este equipamento, os 'Diabos vermelhos' terão de retirar ou tapar a inscrição.

Perante esta situação, e após meses de discussão entre a FIFA a e seleção belga, esta última decidiu contornar a situação ao utilizar o equipamento principal nos três jogos da fase de grupos.

"A palavra LOVE tem de desaparecer. É triste, mas a FIFA deixou-nos sem qualquer outra opção", lamentou Peter Bossaert, diretor geral da federação belga.

O dirigente aproveitou ainda para criticar a postura rígida da FIFA relativamente à questão das braçadeiras arco-íris dos capitães.

"Todos os países estão perplexos. Não podemos conviver com a atitude da FIFA. Nem eu próprio. A dureza da FIFA é chocante", acrescentou.

A Bélgica faz a sua estreia neste Campeonato do Mundo na próxima quarta-feira, às 19h, diante do Canadá.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.