O Estádio do Dragão continua a dar 'sorte' à Seleção de futebol de Portugal. Os comandados de Fernando Santos bateram a Turquia por 3-1, na quinta-feira, e estão a um triunfo do Mundial2022.

Ao 12.º jogo no Dragão, casa do FC Porto, a Seleção somou mais um triunfo, sendo que o mais impactante de todos aconteceu em 2019, quando Portugal conquistou a Liga das Nações. A única derrota aconteceu logo na estreia, no jogo inaugural do Euro2004.

Em 12 de junho de 2004, o Dragão ‘engalanou-se’ para o jogo de abertura da primeira e única fase final de uma grande competição de seleções realizada em solo luso, mas a formação comandada por Luiz Felipe Scolari não correspondeu.

Os gregos, que não somavam qualquer vitória em fases finais, chegaram a 2-0, com tentos de Georgios Karagounis, que viria a jogar no Benfica, aos sete minutos, e Angelos Basinas, aos 51, na transformação de uma grande penalidade.

A formação das ‘quinas’, que nunca havia perdido em fases de grupos de Europeus, só logrou reduzir nos descontos, aos 90+3 minutos, pelo suplente Cristiano Ronaldo, de cabeça, na sequência de um canto de Figo: foi o primeiro – para já - de 115.

O desaire levou Scolari a revolucionar o ‘onze’, no qual fez entrar, Miguel, Ricardo Carvalho, Nuno Valente e Deco, ao segundo jogo, e Ronaldo, ao terceiro, partindo rumo à final, na qual perderia novamente com a Grécia (0-1), agora na Luz.

Esse histórico desaire a abrir o Euro2004 ainda é, porém, o único de Portugal na nova (desde 2003) casa do FC Porto, já que, nos 11 jogos seguintes, Portugal somou oito vitórias e três empates.

O triunfo mais emblemático aconteceu em 09 de junho de 2019, dia em que Portugal conquistou o segundo troféu da sua história, ao bater na final da primeira edição da Liga das Nações os Países Baixos por 1-0.

Depois de Éder ter sido o ‘herói’ do Euro2016, com ‘aquele’ golo na final de Saint-Denis, face à França (1-0, após prolongamento), desta vez foi Gonçalo Guedes a fazer história, com o golo da vitória, apontado aos 60 minutos.

Quatro dias antes, Portugal assegurou um lugar na final também no Dragão, ao bater nas meias-finais a Suíça por 3-1, graças a um ‘hat-trick’ de Cristiano Ronaldo, que marcou aos 25, 88 e 90 minutos. Ricardo Rodríguez ainda empatou de penálti, aos 57.

O reduto do FC Porto também viu acontecer história em 12 de outubro de 2005, no segundo jogo da seleção lusa, num 3-0 à Letónia marcado pelo ‘bis’ de Pauleta, que ascendeu, então, à liderança dos melhores marcadores lusos, ao passar a somar 42, contra 41 do ‘rei’ Eusébio da Silva Ferreira.

O terceiro jogo, em 21 de novembro de 2007, foi outra vez marcante, já que um sofrido ‘nulo’ frente à Finlândia valeu o ‘passaporte’ para a fase final do Euro 2008, num jogo em que os melhores lusos foram o lateral direito Bosingwa, os centrais Pepe (em estreia) e Bruno Alves e o trinco Fernando Meira.

Seguiu-se, em 2009, um ‘nulo’ com a Suécia que parecia, mas acabou por não comprometer o apuramento para o Mundial2010, e, em 08 de outubro de 2010, um 3-1 à Dinamarca, com ‘bis’ de Nani e um tento de Ronaldo, na estreia de Paulo Bento.

Em 07 de outubro de 2011, ‘choveram’ golos no Dragão, num total de oito, com Portugal a superar a Islândia por ‘improváveis’ 5-3, em mais um jogo em que Nani ‘bisou’, com Hélder Postiga, João Moutinho e Eliseu a marcarem os outros golos lusos.

A última vez que Portugal não ganhou no Dragão aconteceu em 16 de outubro de 2012, num ‘tristonho’ 1-1 com a Irlanda do Norte, na corrida ao Mundial2014, que estragou as celebrações da 100.ª internacionalização ‘AA’ de Cristiano Ronaldo.

No único particular no Dragão, de preparação para o Euro2016, Portugal venceu, sem convencer, a Noruega por 3-0, com tentos de Ricardo Quaresma, Éder e Raphaël Guerreiro.

Os últimos três embates contaram para a Liga das Nações, os dois primeiros para a fase final da primeira edição, e o último para a fase de grupos da segunda, saldado por um 4-1 à Croácia, em encontro do Grupo 3 da Liga A.

Em 05 de setembro de 2020, com Ronaldo ausente, João Cancelo, Diogo Jota, João Félix e André Silva apontaram os tentos da formação lusa, que acabou por não conseguir um lugar na ‘final four’, ao ser superado pela França.

Na quinta-feira, Portugal voltou a fazer a festa no Dragão, com golos de Otávio, Diogo Jota e Matheus Nunes, na vitória por 3-1 diante da Turquia.

Na próxima terça-feira, 29 de março, espera-se nova vitória, desta vez diante da Macedónia do Norte, para Portugal carimbar o passaporte para o Mundial2022.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.