Comer bem, descansar muito e brincar, foram algumas das mensagens deixadas pelos profissionais do Benfica aos alunos da escola Visconde São Gião, no auditório da biblioteca da cidade, a escassas centenas de metros do Estádio Dr. António Alves Vieira, onde o Benfica defronta este sábado o Monsanto, da II Divisão, em jogo da 3.ª eliminatória da Taça de Portugal, recordando os momentos mais altos da presente temporada.

“Como todo o Mundo viu, fizemos um grande jogo contra o Vitória de Setúbal, quando ganhámos por 8-1”, afirmou o defesa brasileiro, numa opinião partilhada por Fábio Coentrão.

Entre autógrafos e mais incentivos, o avançado luso assumiu o receio de ir ao médico, em resposta a uma pergunta de um dos alunos torrejanos, enquanto David Luiz recordou o “ano muito difícil” que passou no Benfica. “Tive de fazer duas cirurgias ao pé, mas sempre confiei em Deus e acho que as dificuldades só aparecem na vida para nós as superarmos. O importante é nunca desistir, porque sabemos que no final teremos sempre uma alegria maior”, referiu o defesa.

Já Fábio Coentrão, provocando a euforia quando considerou o Benfica “o melhor clube do Mundo” e enalteceu a “sensação muito boa” de jogar com o Estádio da Luz cheio, assegurando que “arrepia sempre um bocado”. “Eu fico sempre arrepiado, quando vejo a massa vermelha a gritar o nome do Benfica e os nossos nomes. Sinto-me um privilegiado por vestir a camisola do Benfica e por estar aqui com vocês hoje”, sublinhou David Luiz.

Questionados sobre o “segredo” para chegar a profissional de futebol, o defesa “encarnado” deixou o conselho de “lutar pelos sonhos”, ao passo que Coentrão exigiu “muito jeito”, incitando as crianças a “trabalhar muito, desde muito novo”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.