Os órgãos sociais dos ‘encarnados’ já tinham tornado pública esta intenção há cerca de um mês, como forma de protesto contra alegados prejuízos do clube na Liga de futebol, nomeadamente quanto às arbitragens, entre outras medidas.

“A vitória no campeonato da época passada, as excelentes exibições e a valia da equipa causaram preocupação a muita gente. (...) O que se passou neste início de campeonato faz-nos temer - ao contrário - que o futebol português esteja, de novo, a ser armadilhado por jogadas de bastidores”, lê-se numa carta enviada hoje por Vieira aos associados das ‘águias’.

Ressalvando que a atitude do clube não pode “ser interpretada como desculpa para culpas próprias que possam ter influenciado resultados abaixo das expectativas de um bom começo de época”, Vieira fala mesmo de “um embuste que está a atraiçoar a prática desportiva”.

“Lamentavelmente, já se registaram atropelos demasiado graves e abusos demasiado evidentes para que possam passar sem uma reacção enérgica. O director desportivo, o treinador e eu próprio denunciámos o embuste que está a atraiçoar a prática desportiva e voltaremos a fazê-lo tantas vezes quantas as necessárias para que a mentira não seja a regra do nosso futebol e para que os seus autores e aliados sejam desmascarados. Porque é de mentiras que estamos a falar!”, lê-se ainda na missiva.

O líder ‘encarnado’ dirige-se depois aos associados e adeptos, pedindo-lhes para “ajudar esta direcção a lutar pela verdade e pela transparência no futebol português”: “Comparecer aos jogos fora significa pactuar com o actual estado do futebol português!”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.