Em declarações ao site do clube, o técnico admitiu que o calor poderá ter condicionado um pouco o jogo, mas acrescentou que “isso não é desculpa para o que se fez”, admitindo “alguma passividade e um ritmo um pouco lento”.

Villas-Boas referiu que a “houve alguns progressos na segunda parte” do encontro, disputado em Munster, Alemanha, e considerou essencial “afinar a máquina, para chegar à Supertaça em condições máxima de disputar o troféu”.

O treinador portista afirmou que ainda há “pequenos passos, pequenas arestas a limar”, mas referiu que a equipa “está no caminho certo, sem dúvida”.

O sucessor de Jesualdo Ferreira no comando técnico dos “dragões” garantiu que quer continuar com os hábitos ganhadores da equipa, acrescentando: “Resta encontrar um equilíbrio entre o que pretendemos no futuro e o que temos de positivo desses quatro anos”.

“Esse enquadramento não é fácil para os jogadores, que são confrontados com uma realidade nova, uma realidade nova de treino e de jogo, e demorará sempre um pouco a atingir”, disse.

O FC Porto, que está a estagiar em Marienfeld, disputa a 07 de Agosto, em Aveiro, a Supertaça frente ao Benfica, campeão nacional.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.