O Manchester United de José Mourinho esteve hoje perto do 'abismo' frente ao lanterna-vermelha Newcastle, mas recuperou desvantagem de dois golos para ganhar por 3-2 e regressar às vitórias na liga inglesa de futebol.

O quinto jogo oficial consecutivo sem vencer, que seria um recorde que remontava a 1999, foi evitado já nos instantes finais, num desafio em que os 'diabos vermelhos' apresentaram duas faces, e que valeu três golos nos derradeiros 20 minutos.

O ‘pesadelo’ de Mourinho, que a imprensa britânica diz estar de saída, independentemente do resultado de hoje, começou a pairar aos sete minutos, em contra-ataque concluído pelo brasileiro Kenedy (sete minutos), após ‘sentar’ um defesa e atirar colocado.

Mourinho ainda nem tinha tido tempo de digerir quando o japonês Yoshinori Muto (10), beneficiando da apatia da defesa, ampliou para 2-0, ‘ajoelhando’ uma equipa perdida em campo, sem alma, garra ou classe.

O guarda-redes de Gea evitou, mais do que uma vez, o terceiro, mas, no segundo tempo, o protagonista passou a ser o rival eslovaco Martin Dúbravka, que 'brilhou' várias vezes para retardar a reação dos ‘red devils’.

O Manchester United reentrou no jogo aos 70, em livre direto apontado por Juan Mata, e a esperança recrudesceu volvidos seis minutos, em remate do francês Martial, após tabelar com um companheiro.

O Newcastle, que partilhava o último lugar com o Cardiff, e que esta época ainda não venceu, não abdicou de tentar voltar ao comando, mas acabou por ser o chileno Alexis Sánchez (90) a sentenciar, de cabeça, o resultado, permitindo ao United um pequeno salto até ao oitavo lugar, com os mesmos 13 pontos do Watford.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.