O Chelsea terá hoje abdicado praticamente da revalidação do título ao ceder um empate 1-1 na visita ao Stoke City, na 31.ª jornada da Primeira Liga inglesa de futebol.

Os londrinos quebraram uma série de três vitórias consecutivas e ficaram mais longe do Manchester United, que goleou por 4-2 na visita ao “aflito” West Ham e goza agora de 11 pontos de vantagem sobre o Chelsea (que ainda tem menos um jogo).

Jonathan Walters, logo à passagem do oitavo minuto, colocou o Stoke City em vantagem, que viria a ser anulada aos 33 minutos, por intermédio de Didier Drogba, num jogo em que o internacional português Bosingwa foi titular (admoestado aos 58 minutos).

O Liverpool, recentemente eliminado da Liga Europa pelo Sporting de Braga, somou hoje a 12.ª derrota no campeonato, ao perder na visita ao West Bromwich Albion, que marcou os dois golos do triunfo (2-1) de grande penalidade.

Depois de uma primeira parte sem golos, o eslovaco Martin Skrtel colocou o Liverpool em vantagem, cinco minutos depois do reatamento, com os anfitriões a igualarem 12 minutos depois, com o primeiro dos dois golos de Chris Brunt.

A dois minutos dos 90, o médio irlandês deu a volta ao resultado na cobrança de novo castigo máximo, fechando o resultado final a favor dos donos da casa, num embate em que Raul Meireles voltou a ser um dos “patrões” do meio campo do Liverpool.

Apesar do “nulo” na visita ao “lanterna vermelha” Wigan, o Tottenham acabou por ganhar um ponto ao Liverpool na luta pelo quinto lugar, com os londrinos a usufruírem agora de cinco de vantagem sobre os “reds”.

No encontro que abriu a 31.ª jornada, um “hat-trick” de Wayne Rooney na segunda parte, em menos de 15 minutos, deu a volta a uma desvantagem de 0-2 e lançou o Manchester United para um triunfo por 4-2 na visita ao West Ham.

Com este triunfo, o Manchester United dilatou para oito pontos, embora ainda provisoriamente, a vantagem sobre o perseguidor directo Arsenal, que tem menos dois jogos e recebe, ainda hoje, o Blackburn Rovers.

Ainda na luta para assegurar a manutenção, o West Ham, na 18.ª e antepenúltima posição, começou o embate com o líder da melhor forma e aos 25 minutos já vencia por 2-0, depois de duas grandes penalidades cobradas com sucesso por Mark Noble (11 e 25 minutos).

Em vantagem por duas bolas, os adeptos que rumaram até ao Boleyn Ground começavam a acreditar que o West Ham estaria lançado para somar o quinto jogo consecutivo invicto (duas vitórias e dois empates), mas Rooney foi o obreiro da reviravolta no segundo tempo.

O “festival” da recuperação começou aos 65 minutos e prosseguiu aos 73, para encerrar seis minutos depois na cobrança de uma grande penalidade.

Um minuto depois de o internacional português Nani ter entrado para o lugar do herói do jogo (88 minutos), o mexicano Javier Hernández, que substituiu o francês Patrice Evra logo no reatamento, marcou o quarto golo dos forasteiros e fechou a contagem.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.