José Mourinho não ficou satisfeito com o empate em casa frente ao Arsenal em jogo a contar para a 15ª jornada da Premier League e não escondeu o seu desagrado com os erros cometidos após o apito final, mas destacou a entrega dos seus jogadores em Old Trafford.

"Marcámos quatro golos e empatámos 2-2. Como sempre, cometemos erros e pagámos por eles. Hoje foi mais do mesmo, mas houve um grande espírito e pessoas preparadas para lutar. Foi mérito da equipa", começou por dizer José Mourinho.

"Os meus jogadores foram ao limite e estavam mesmo cansados. Alguns deles não jogaram durante toda a época, o Chris Smalling jogou sob condições muito difíceis, mas o Arsenal só criava perigo quando nós perdíamos bolas em zona proibida", continuou José Mourinho.

"Foi um desempenho de grande alma e grande coração. O Rashford, só para citar um nome, deu tudo pela camisola. Mas mesmo do banco sente-se o pânico quando a bola chega à nossa defesa", acrescentou o técnico português.

"[E como pode o técnico resolver isso?] Não sei responder. Sou o treinador do Manchester United e não sei responder a isso. Nós criamos sempre a primeira oportunidade. Mas quantas vezes marcamos e construimos algo a partir daí? É muito, muito raro. Mas estou contente com os meus rapazes. O espírito foi de Manchester United, mas faltam-nos algumas qualidades. Tenho de discordar das pessoas que os comparam com Roy Keane, Ruud van Nistelrooy e Nemanja Vidic, por favor! Estou feliz com a alma e o coração que demontramos, mas não somos consistentes", sentenciou o técnico português.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.