Benjamin Mendy vai continuar em prisão preventiva. O lateral do Manchester City solicitava a sua libertação, mediante o pagamento de uma fiança mas o pedido voltou a ser rejeitado, avança a imprensa inglesa. Assim, o francês terá de aguardar julgamento na prisão. O jogador está acusado de violação e abuso sexual.

Mendy, que está detido desde 26 de agosto, tinha feito pedido semelhante a 10 de setembro no tribunal de Chester, no nordeste de Inglaterra, onde foi ouvido, numa sessão de durou 45 minutos e em que o lateral esquerdo, de 27 anos, apenas confirmou a sua identidade.

O tribunal agendou o início do julgamento do internacional francês para 24 de janeiro e confirmou que Mendy irá manter-se em prisão preventiva, pelo menos, até essa data. Para 15 de novembro está marcada nova audiência, solicitada pela defesa do jogador francês, em que Mendy poderá declarar-se como culpado ou inocente das acusações de que é alvo.

O defesa, que representa o Manchester City desde 2017, está acusado de quatro crimes de violação e um de abuso sexual, alegadamente ocorridos entre outubro de 2020 e agosto de 2021.

Mendy foi detido no final de agosto pela polícia inglesa e está em prisão preventiva no estabelecimento de Altcourse, nos arredores de Liverpool.

Em 01 de setembro, a equipa de defesa do internacional gaulês pediu a sua libertação através de fiança, mas o tribunal negou o requerimento.

Mendy, que estava a iniciar a quinta temporada no Manchester City e que atuou na primeira jornada da ‘Premier League’, é colega de equipa dos portugueses Rúben Dias, João Cancelo e Bernardo Silva.

O Manchester City suspendeu o jogador até à resolução do caso.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.