O Manchester United ficou-se hoje pelo 'nulo' na visita a Leeds, num encontro da 33.ª jornada da Liga inglesa de futebol, e pode ficar com menos margem no segundo lugar, caso o Leicester vença o Crystal Palace.

Em Elland Road, os ‘red devils’, comandados pelo internacional português Bruno Fernandes, foram a equipa que esteve sempre mais perto de desfazer o resultado, mas faltou alguma competência para desmoronar a defesa dos anfitriões, que contaram com o luso Hélder Costa de início.

Na presente edição da Premier League, o Manchester United é, agora, o clube que regista mais ‘nulos’ (sete), ficando a apenas um do registo alcançado por si em 1980/81.

Numa classificação liderada pelo Manchester City, com 77 pontos, o United permanece isolado no segundo posto (67), mas pode ver o terceiro classificado Leicester (59) encurtar distâncias. O Chelsea, quarto, com 58, ocupa a última vaga que dá acesso direto à Liga dos Campeões.

Já o Leeds, não perde há seis jogos e segue num confortável nono posto, com 47 pontos.

A lutar pela permanência no principal escalão, continua o West Ham, que quase deu um importante passo, não fosse o empate (2-2) cedido em tempo de descontos, no Villa Park, em Birmingham.

O Aston Villa até se colocou em vantagem, graças a uma grande penalidade convertida por El-Ghazi, logo aos nove minutos, porém, o antigo jogador do Sporting Matheus Pereira (23), também do castigo máximo, e Mbaye Dyagne (47) operaram a reviravolta, antes de Kevin Davis (90+2) anular a vantagem aos 90+2.

Com este empate, os ‘baggies’ permanecem no 19.º posto, com 25, a nove do Brighton, a primeira equipa acima da ‘linha de água’. Os ‘villans’ seguem em 11.º, com 45.

O início de tarde foi um verdadeiro pesadelo para o treinador português Nuno Espírito Santo, ao ver o Wolverhampton ser goleado em casa pelo Burnley (4-0), que teve no avançado neozelandês Chris Wood a grande figura no Molineux Stadium.

O jogador de 29 anos conseguiu o seu primeiro ‘hat-trick’ na Premier League, ao 132.º jogo, ao marcar de pé direito aos 15 e 21 minutos e de cabeça, na sequência de um canto, aos 44, sentenciando, praticamente, o jogo antes do intervalo.

Na segunda parte, o Burnley limitou-se a controlar as investidas dos anfitriões, mas ainda conseguiu um quarto golo, agora por intermédio de Ashley Westwood, que faturou aos 85 minutos, servido pelo ‘inevitável’ Woods.

Na formação da casa, o treinador português Nuno Espírito Santo fez entrar de início os compatriotas Rui Patrício, Nélson Semedo, Rúben Neves e Daniel Podence e ainda lançou, na segunda parte, Fábio Silva e Vítor Ferreira.

Com esta golada, o Burnley saltou, à condição, para o 14.º lugar, com 36 pontos, enquanto o Wolverhampton manteve-se no 12.º, com 41.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.