O Manchester United negou hoje ter permitido a entrada no domingo de adeptos em Old Trafford, numa quebra de segurança que levou ao adiamento do jogo com o Liverpool, da Liga inglesa de futebol.

“Os relatos na imprensa e nas redes sociais de que os adeptos tiveram acesso ao estádio e ao relvado, através de um portão aberto pelos funcionários do clube, estão completamente errados”, refere o clube inglês.

O jogo com o Liverpool, que deveria ter acontecido no domingo à tarde, foi atrasado e, depois, adiado, devido a uma invasão de adeptos dos ‘red devils’, num protesto contra os proprietários do clube.

Cerca de 5.000 adeptos juntaram-se nas imediações do estádio para pedir a saída da família norte-americana Glazer, proprietária do clube desde 2005, e alguns acabaram mesmo por entrar, obrigando à intervenção da polícia.

Em causa, está a recente participação do Manchester United no projeto de criação da Superliga europeia, mas também a dívida cada vez maior do clube, e hoje o emblema prometeu a punição dos infratores.

“O clube não deseja ver adeptos inocentes punidos, mas vai trabalhar com a polícia para identificar aqueles envolvidos em atividade criminal, e adotará sanções próprias em relação a qualquer adepto com bilhete de época e identificado”, assinalou o clube, em comunicado.

Em relação ao jogo com o Liverpool, que em caso de derrota daria já no domingo o título ao Manchester City, os ‘red devils’ dizem estar a estudar datas e que será anunciada após discussão e acordo com a Liga inglesa.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.