Patrice Evra falou este domingo no podcast do Manchester United onde recordou a infância difícil que teve com a família em Paris.

"Vou ser sincero. Tive uma infância muito dura, porque éramos tantos irmãos e irmãs... que não era fácil viver nas ruas. Estava em Paris, mas a viver na rua e às vezes não conseguia ter comida. Lembro-me que o meu irmão Dominique trabalhava no McDonalds e eu ia lá na pausa de almoço para que ele me pudesse dar algo de comer. Não tenho medo de dizer que pedi nas ruas em frente a lojas. As pessoas passavam e eu pedia-lhes se me podiam dar alguma coisa. Alguns davam, outros não, mas pedia só porque queria comprar uma sandes", revelou.

No entanto, para o antigo jogador francês, estes "foram períodos difíceis, mas felizes". "Estava sempre feliz e sentia-me sempre sortudo. Não mudava nada, porque foi assim que me tornei o homem que sou agora. Normalmente as pessoas só observam o resultado final, a superestrela na televisão, mas foi nas ruas que aprendi a ser forte. Especialmente depois do Mundial, onde fui capitão, já que muitos me culparam. Mas mantive-me forte, porque sei que nas ruas tinha passado por momentos bem mais difíceis do que ter a imprensa a falar de mim", admitiu.

"Não sou uma vítima. Não me sinto triste por isso. Não quero que as pessoas sejam simpáticas comigo porque estou a dizer isto. Estou apenas a contar a minha verdadeira história. Quero apenas motivar os mais jovens para nunca desistirem aconteça o que acontecer. Se acreditas que podes ser alguém, se lutares por isso, vais conseguir", garantiu Patrice Evra.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.