O piloto do avião que transportava o jogador de futebol argentino Emiliano Sala  não estava habilitado a voar à noite, informou a BBC este sábado, 30 de março. A aerovane caiu no Canal da Mancha em 21 de janeiro, provocando a morte do piloto e do jogador argentino.

Segundo a imprensa britânica, o piloto, David Ibbotson, era daltónico, o que o impedia de voar durante a noite, e a sua licença de piloto não continha a "qualificação para voo noturno".

Questionada pela AFP, a Autoridade britânica da Aviação Civil (CAA) não confirmou esta informação, indicando apenas que a "investigação da AAIB está em andamento".

Por sua vez, a Agência Britânica de Investigação de Acidentes Aéreos (AAIB) disse à AFP que a sua investigação "continua a se concentrar nas licenças".

No mês passado, a AAIB determinou que o avião que transportava Emiliano Sala não estava autorizado a fazer voos comerciais.

Os investigadores esclareceram que David Ibbotson já tinha transportado outros passageiros com base numa "partilha de custos", autorizada pelos regulamentos.

Emiliano Sala morreu aos 28 anos num acidente de avião, que desapareceu dos radares na noite de 21 de janeiro, sobre o Canal da Mancha, pouco tempo depois de se ter transferido do Nantes para o Cardiff.

O corpo do avançado argentino foi encontrado nos destroços do avião e recuperado em 07 de fevereiro, mais de duas semanas após o desaparecimento da aeronave, perto na ilha de Guernsey.

De acordo com um relatório preliminar ao acidente, a aeronave que transportava Emiliano Sala e pilotada por David Ibbotson, cujo corpo continua desaparecido, não possuía licença para voos comerciais.

Os dois clubes estão ‘embrulhados’ numa batalha legal em torno da transferência, no valor de 18 milhões de euros, uma vez que os franceses querem receber a totalidade do pagamento da verba.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.