Uma grande penalidade defendida pelo guardião David De Gea aos 95 minutos evitou o empate do Manchester United, no terreno do West Ham. O árbitro Martin Atkinson, após ser alertado pelo VAR e ter visto a jogada no monitor, assinalou penálti por mão na bola de Luke Shaw.

David Moyes, técnico dos Hammers, lançou logo o veterano Marc Noble para bater a grande penalidade mas este perdeu no duelo com David Gea: estirada do espanhol para uma grande defesaa, a segurar os três pontos aos 95 minutos.

A jogar no Estádio de Londres, os Hammers foram os primeiros a marcar por Said Benrahma, a passe de Jarrod Bowen.

Cinco minutos depois entrou em cena a dupla portuguesa titular: Bruno Fernandes centrou da esquerda, com conta, peso e medida, Cristiano Ronaldo empatou. O primeiro remate de CR7 até foi defendido pelo guardião Lukasz Fabianski mas, na recarga, o português fez o golo. O lance ainda foi ao VAR mas verificou-se que Cristiano Ronaldo estava em jogo.

Num jogo dividido, a equipa de Ole Gunnar Solskkjaer tinha dificuldades em entrar no último reduto do West Ham. Por sua vez, a formação comanda por David Moyes tentava ferir o adversário em contra-ataque. E foi dsesa forma que criou vários lances de periogo junto da baliza de De Gea.

Aos 73 minutos, o técnico do United arriscou mais, trocando Paul Pogba pelo avançado Jesse Lingard, avançado que ficou muito mal na fotografia na passada terça-feiram na derrota do United frente ao Young Boyz na Champions (fez um passe errado para um adversário que fez o 2-1 final).

E essa aposta foi recompensada já que o internacional inglês fez o 2-1 aos 89 minutos, num remate fantástico e colocado, sem hipótese para Lukasz Fabianski.

O empate só não aconteceu porque David De Gea, tantas vezes vilão nos Red Devils, vestiu a pele de herói e segurou os três pontos, defendido o penálti de Noble aos 95 minutos.

Com esta defesa, David De Gea colocou um ponto final numa sequência de 40 penáltis sem qualquer defesa. Nos últimos cinco anos, o espanhol não tinha defendido nenhum dos 40 penáltis que foi chamado a travar.

Pouco dias depois de uma estreia ‘desastrosa’ na Liga dos Campeões, com um desaire frente ao Young Boys (2-1), o Manchester United mantém-se firme no topo da Premier League, em igualdade com o Liverpool, ambos com 13 pontos.

Logo atrás desta dupla surge o surpreendente Brighton, que terminou a última edição da prova num modesto 16.º lugar e que agora surge em terceiro, com 12 pontos, graças a uma vitória por 2-1 na receção ao Leicester.

Neal Maupay, aos 35 minutos, de grande penalidade, e Danny Welbeck, aos 50, assinaram os tentos dos ‘seagulls’, antes de Jamie Vardy reduzir para os ‘foxes’, aos 61, numa partida em que o internacional luso Ricardo Pereira integrou o ‘onze’ dos visitantes.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.