O vídeo-arbitro (VAR) só será usado, a partir de agora na Premier League, para corrigir erros "claros e evidentes" após uma última jornada polémica, anunciou o secretário geral da International Board (IFAB), a entidade que define as regras do futebol.

Norwich, Brighton, Sheffield United, Wolverhampton, Brighton e Crystal Palace tiveram golos anulados na jornada do 'Boxing Day' em decisões tomadas pelo VAR, em lances de fora-de-jogo em que foram apontadas margens ínfimas.

Lukas Brud, secretário geral da IFAB, admitiu que o VAR deve ser utilizado em jogadas com erros "claros e evidentes". "Não se deve perder muito tempo à procura de coisas marginais", acrescentou.

"Se temos de passar vários minutos para decidir se há fora-de-jogo ou não, quer dizer que não está claro e evidente e que a decisão original [a do árbitro] deveria prevalecer", insistiu.

O responsável referia-se principalmente à partida entre o líder Liverpool e o Wolverhampton, que terminou com uma vitória dos 'reds' por 1-0, depois de os 'Wolves' term o golo que valeria o empate, ser anulado devido a um fora-de-jogo de apenas alguns centímetros.

No início de dezembro, o presidente da UEFA, Aleksander Ceferin, fez um apelo, pedindo à IFAB mais "clareza" e "rapidez" no uso do VAR, citando especialmente as jogadas de fora-de-jogo e toques na bola com a mão na área.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.