“Ele veio para o Benfica por 8,5 milhões de euros, um valor alto no atual mercado. Penso que a ânsia de mostrar o seu valor devido à pressão que essa verba significa, um facto muito batido pelos adeptos e pelos ‘media’, está a atrapalhar e a trair o Roberto”, disse à agência Lusa o agora titular do Olhanense.

Na Luz, em 2005/06, o guarda-redes brasileiro viveu um momento semelhante, tendo saído da equipa, então comandada pelo holandês Ronald Koeman, após alguns erros e muita crítica dos adeptos.

Os guarda-redes, diz Moretto, “ficam mais expostos quando há um mau momento ou os resultados não aparecem”, embora saliente que Roberto “não tem estado feliz em algumas situações”.

“Estamos a falar de um clube ‘grande’ e de uma posição muito específica, a de guarda-redes. Assim, quando há erros ou situações menos positivas, cai sempre tudo em cima do guarda-redes. Já aconteceu com outros no clube”, analisa o guardião brasileiro.

Moretto aconselha o guardião espanhol “a manter a cabeça fria e a continuar a trabalhar, em tranquilidade, sem aquela ânsia de provar já o valor que tem”.

“Se lhe derem tempo, tranquilidade e ele contar com o apoio do treinador e dos colegas, ele dará a volta a esta situação”, recomenda o jogador do Olhanense.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.