O Estádio Algarve recebeu hoje cerca de 15 000 espectadores para assistir ao Portimonense-Benfica, a maioria dos quais afectos ao clube ‘encarnado’, que assim não acederam ao apelo de boicote aos jogos fora feito pela direcção do clube campeão nacional de futebol.

"Desculpa Vieira, tive que vir", lia-se num pequeno cartaz empunhado por um dos cerca de 12 000 seguidores do Benfica que se deslocaram ao recinto intermunicipal de Faro/Loulé para ver o encontro da oitava jornada da Liga portuguesa de futebol.

A 13 de Setembro, o Benfica lançou um apelo aos adeptos, para que se abstivessem de assistir aos jogos de futebol do clube fora do Estádio da Luz, numa declaração lida pelo presidente da Assembleia Geral, Luís Nazaré, no final de um plenário de todos os órgãos sociais.

Essa reacção surgiu na sequência da visita do Benfica a Guimarães, encontro da terceira jornada no qual o campeão português considerou ter sido prejudicado pelo árbitro Olegário Benquerença.

Mais recentemente, o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, reiterou esse apelo em carta dirigida aos sócios, embora depois o clube tenha requisitado 2500 bilhetes para o jogo da 10.ª jornada, com o FC Porto, no estádio do Dragão, alegando uma fonte ‘encarnada’ que este encontro é “o único que não cumpre os pressupostos em que assentou o pedido dos órgãos sociais”. “O FC Porto, com esta direcção, nunca se baterá pela verdade desportiva”, disse a mesma fonte.

O Portimonense confirmou esta semana que o Benfica não requisitou qualquer ingresso para o jogo de hoje, o que já tinha acontecido na visita ao Marítimo, em jogo da sétima jornada, mas o presidente do clube algarvio disse hoje à Lusa que as claques do Benfica "pediram cerca de 500 bilhetes".

Entre os adeptos do Benfica que hoje se deslocaram ao Estádio Algarve, alguns manifestaram à Lusa a sua discordância em relação ao apelo feito pela direcção ‘encarnada’ e manifestaram-se surpreendidos com tal posição.

Em declarações à Lusa, António Tomás, morador em Lisboa, deslocou-se a Faro, para assistir ao encontro e disse “não fazer sentido o apelo da direcção, pois as pessoas querem ver a equipa e os espectáculos”.

“Penso que não faz sentido, nem está correcto fazer tal apelo”, destacou o adepto benfiquista, acrescentando que “os bilhetes estão à venda e compra quem quer”.

Também Carlos Gomes, que raramente acompanha os jogos fora de Lisboa, discorda do apelo dos dirigentes ‘encarnados’, observando que, “como são raras as vezes em que vê actuar a equipa, a presença na região fez com que fosse assistir ao jogo com o Portimonense”.

Para Carlos Gomes, “cada pessoa deve pensar pela sua cabeça e não é o presidente que decide a vontade de quem quer que seja".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.