O brasileiro Alan acusou o espanhol Javi García de insultos racistas no jogo de ontem do Braga com o Benfica, que terminou empatado a uma bola, depois de vários episódios com a falta de luz numa bancada e balneários sem água quente.

O jogador do Braga afirmou à rádio Renascença que o médio do Benfica desejou que os seus filhos «morressem e que eu era preto». O experiente extremo brasileiro deixou ainda um recado a Javi García, recordando-lhe que «o capitão dele é negro, o lateral esquerdo é negro, 70% da sua torcida é negra e ele tem que tomar cuidado».

Também o médio líbio Djamal se terá queixado do mesmo comportamento do jogador do Benfica, de acordo com as palavras de Alan.

Recorde-se que já no desafio entre as duas equipas na época passada os dois jogadores envolveram-se numa troca polémica de acusações, na sequência da expulsão de Javi García por agressão a Alan. «Ele disse que o futebol é para homens, dirigindo-se a mim. E eu acho que ele não é homem. Ele tapou a boca com a mão e começou a disparar palavras», frisou então o jogador bracarense.

Já sobre os comentários do ex-colega Artur - que agora defende a baliza do Benfica e que afirmou existirem sempre «coisas do outro mundo» de cada vez que os encarnados se deslocam ao Minho -, Alan lamentou as palavras do guarda-redes. «Mandaram-no dizer isso. Ele esteve no nosso balneário e viu que nós também não tinhamos água quente», rematou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.