No futebol, os males são curados com vitórias. Para ultrapassar o desaire em Dortmund só mesmo um triunfo em Arouca para o Sporting recuperar a confiança. Uma equipa que não estava habituada a perder e sofreu dois desaires consecutivos na Liga dos Campeões, prova em que os verdes e brancos não estão (ainda) tarimbados, precisava quase obrigatoriamente de somar os três pontos, impedindo assim a fuga dos rivais na frente da I Liga.

Veja o resumo da partida

Face às ausências de Feddal e Gonçalo Inácio, Rúben Amorim improvisou com os laterais Matheus Reis e Esgaio a ocuparem o trio defensivo, juntamente com Coates. A falta de rotinas da nova linha defensiva acabou por dar vários calafrios ao setor, face à acutilância ofensiva do Arouca, sobretudo no momento da transição. O papel de construtor foi entregue a Daniel Bragança que se juntou a Palhinha no miolo defensivo, o que desde logo trouxe mais irreverência e capacidade técnica ao momento de construção leonina. Matheus Nunes apareceu um pouco mais adiantado no terreno. A aproximação à área, em termos territoriais, do novo selecionado de Fernando Santos, foi sinónimo de golo. E será certamente uma variante a explorar por Rúben Amorim nos próximos jogos, já que o médio foi fundamental no ano passado, também no que a golos decisivos diz respeito.

Ao minuto 14´, viria de novo a fazer o 'gosto ao pé' com a camisola dos leões. Nuno Santos, que recuou no terreno no regresso à titularidade ocupando a lateral esquerda, cruzou para Sarabia, com o espanhol a temporizar da melhor forma para a finalização ponderada de Matheus, num lance que teve que ser confirmado com recurso ao VAR. O Arouca não se fechou em copas, até porque certamente o golo dos leões trocou as voltas e os planos de Armando Evangelista, que decididamente não esperaria sofrer um golo numa fase tão madrugadora do encontro. Os arouquenses arregaçaram as mangas e foram à procura do empate, com o palestiniano Dabbagh como protagonista a ficar perto em duas ocasiões ainda antes do final da 1ª. parte.

O Sporting até podia ter chegado ao intervalo com outra tranquilidade, com os leões a criarem e com qualidade lances suficientes para chegarem ao segundo. Paulinho atirou ao lado aos 37´, servido por Coates. Aos 40´, foi Bragança a assistir de bandeja Sarabia, que não conseguiu bater por duas vezes o guardião arouquense.

Se na primeira parte o Arouca destacou-se pela resposta à vantagem leonina, o segundo tempo foi impróprio para cardíacos. Dabbagh empatou a partida, depois de uma transição alucinante do Arouca, após grande arrancada seguida de cruzamento de Bukia. Só que Nuno Santos não foi de modas e três minutos volvidos (54´) estabeleceu o resultado final, num excelente pontapé. O Arouca não quis atirar a toalha ao chão, com o leão a procurar salvaguardar os três pontos, o que acabou por suceder.

Momento

Que melhor resposta a um golo sofrido do que um golo apontado três minutos depois. Foi o que sucedeu com o tento de Nuno Santos que acabou por valer a vitória em Arouca.

Melhores

Daniel Bragança

Trouxe clarividência, irreverência e qualidade com bola ao jogo dos leões. Esteve nos lances mais importantes de criação leonina e, com esta exibição, tem mais argumentos para colocar o dedo no ar na hora de Amorim escolher o onze.

Matheus Nunes

Foi chamado à seleção e acabou por retribuir com um golo e logo o que fez funcionar o marcador em Arouca. Mais aberto, na ala esquerda, aproximou-se também de uma zona do terreno em que pode também fazer a diferença e ter um papel mais ofensivo.

Sarabia

Assistiu e podia ter feito o gosto ao pé, depois de dois remates parados por Fernando Castro. Jogo mais bem conseguido do espanhol até ao momento ao serviço do Sporting.

Oday Dabbagh

Acabou por assumir um lugar no onze na equipa de Armando Evangelista e confirmou a aposta. Muito rápido sobre a bola, esteve perto de estabelecer a igualdade ainda na primeira parte, mas não conseguiu bater Adán. Fez o tento do empate, ao finalizar da melhor forma um lance iniciado por Bukia.

Reações

Rúben Amorim vai dar "um intervalo à equipa", Daniel Bragança "feliz por ser titular"

Armando Evangelista fala em "imaturidade", Leandro Silva lamenta falta de eficácia

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.