Resumo do que aconteceu na Amoreira

Vitória do Benfica por 1-0 diante do Estoril com um golo de Jiménez de penalti. Foi um jogo complicado e que nunca esteve totalmente resolvido por parte dos encarnados. A equipa de Rui Vitória teve sempre mais bola, dominou a partida, mas faltou-lhe por largos minutos a dinâmica necessária para romper por entre as linhas de um Estoril bem fechado e organizado. No último instante, o Estoril poderia ter empatado por Tocatins que, de cabeça, atirou ao lado quando precisava apenas de encostar.

O melhor momento

A entrada de Jonas de aos 79 minutos. Depois de um calvário de quase quatro meses, o brasileiro voltou a pisar o relvado e a mostrar alguns pormenores que o notabilizaram no Benfica. Dois cabeceamentos perigosos e boa qualidade a pautar o jogo encarnado.

Polémica do Jogo

Não é necessariamente uma polémica. Os dois treinadores mostraram-se consensuais sobre a mão na bola de Ailton que acabou por resultar na grande penalidade a favor do Benfica e no consequente golo. Mas estes lances continuam a ser alvo de várias interpretações e é preciso definitivamente explicar a diferença entre mão na bola e bola na mão.

Figura do encontro

Jiménez naturalmente deveria destacar-se como a figura do encontro pelo golo marcado, mas Jonas é necessariamente a notícia. O avançado brasileiro voltou a jogar 113 dias depois. Os adeptos aplaudiram-no como se um golo se tratasse, e Jonas respondeu com o que sabe fazer. Pouco mais de dez minutos em campo e cabeceou duas bolas com perigo à baliza estorilista. Para além disso, é um jogador com critério, pauta o jogo, e isso viu-se.

Nota para Tocantins que entrou na segunda parte na equipa do Estoril e mexeu com o ataque da sua equipa. Teve dois duelos com Ederson, o primeiro bem resolvido pelo guardião, e no segundo atirou de cabeça ao lado.

As vozes dos protagonistas

Rui Vitória: “Não estamos à procura de vitórias folgadas, mas de vitórias. Queremos é ganhar, somar três pontos e não temos a arrogância de achar que estamos a jogar com equipas fracas. Temos de estar sempre no limite para ganhar. Independentemente daquilo que foi o jogo, foi uma vitória justa”.

Pedro Gomez Cármona: “Estou satisfeito com a equipa, gostei da atitude, deram tudo em campo, vi conceitos que trabalhámos nestes dois dias. Gostávamos de ter tido mais a bola, mas isso irá chegar com o tempo. O Benfica teve a bola mas não criou assim tantas ocasiões de golo. Acabou por marcar de pénalti. As ocasiões claras aconteceram para as duas equipa”.

Jiménez: “Foi uma vitória justa contra um rival que nos complicou muito. Tivemos muitas oportunidades mas não conseguimos concretizar, mas o que interessa no final são os 3 pontos. Já marquei bastantes penalties e é isso que me dá confiança para continuar a fazê-lo... Creio que este é o meu melhor momento, tenho estado bem e o trabalho e esforço diários dão estas recompensas”.

Curiosidades

Jiménez volta a marcar pelo quarto jogo consecutivo, algo que ainda não tinha acontecido desde que chegou à Luz. Iniciou este ciclo de quatro golos com o Nápoles, e depois continuou-o diante do Sporting, Real e agora Estoril. Jonas está de volta, Mitroglou espreita através do banco, mas Jiménez dá a resposta em campo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.