Seis pontos em cinco jogos. É este o saldo do Sporting nas últimas partidas. Um saldo típico de equipa de meio da tabela e inaceitável num candidato ao título. A deslocação ao terreno do Nacional foi apenas a última demonstração de um 'leão' que ainda ruge baixo.

O encontro não podia ter arrancado com melhor oportunidade para os de Jesus, que tiveram um penálti mesmo a abrir a partida. Parecia a forma ideal de lançar um triunfo, mas William Carvalho deu as primeiras mostras de uma noite não, também a nível individual. Bateu com falta de convicção e permitiu o primeiro bom momento do guarda-redes Rui Silva.

Mesmo com o penálti falhado, a primeira meia hora de jogo foi o melhor período da equipa de Jesus. Houve oportunidades várias para inaugurar o marcador, mas a ineficácia leonina e a vontade de brilhar de Rui Silva - belo jogo do guarda-redes de 22 anos - falaram mais alto. Depois dos 30 minutos, e tendo aguentado as investidas iniciais do Sporting, o Nacional decidiu subir ligeiramente as linhas e ameaçar também. As verdadeiras ocasiões para os insulares estavam guardadas para a segunda metade, mas já então a equipa de Manuel Machado demonstrava a boa disciplina tática que lhe permitia bater-se de igual para igual com o Sporting.

No segundo tempo foi mesmo o Nacional que criou momentos de mais perigo, deixando o Sporting em real alerta: o empate já era um resultado negativo, mas uma derrota começava a surgir como hipótese menos remota. A entrada de Ricardo Gomes, em particular, beneficiou o Nacional em termos ofensivos e foi o avançado que acertou na barra aos 63', com um desvio de Rui Patrício pelo meio.

Já perto do final do encontro, mais um susto maior para os adeptos do Sporting, quando o mesmo Ricardo Gomes falhou por pouco a baliza de Rui Patrício com um cabeceamento na sequência de uma má saída do guarda-redes dos 'leões'. O Sporting sobreviveu às ameaças maiores, mas não se livrou de um resultado negativo justificado pela sua própria ineficácia e pela falta de ideias.

Depois de mais um deslize, o quarto em cinco jogos para o campeonato, já não há mesmo desculpas. Jorge Jesus terá de mexer com a equipa de alguma forma de forma a tentar recuperar a larga distância para os rivais na luta pelo título.

O momento do jogo:

O penálti falhado por William Carvalho. A grande penalidade bem assinalada por Vasco Santos foi a oportunidade ideal para o Sporting arrancar a partida da melhor forma, mas o escolhido para bater foi William Carvalho (estranhamente) e o médio fraquejou.

Os melhores:

Rui Silva: O guarda-redes de 22 anos do Nacional esteve em foco logo nos primeiros dez minutos ao defender a grande penalidade de William e esse momento deu-lhe a motivação necessária para um jogo irrepreensível, que contou ainda com grandes defesas a remates de Gelson e Rúben Semedo.

Victor García: O lateral venezuelo anulou por inteiro Bryan Ruiz e ainda conseguiu impressionar nos lances ofensivos, demonstrando estar mais do que pronto para a elite do futebol português. O FC Porto está atento, ou pelo menos deve estar.

Os piores:

Lazar Markovic: Depois da desilusão em Tondela, Jesus fez regressar Markovic ao 'onze' mas o sérvio voltou a não corresponder. Não trouxe as ideias que se exigiam e acabou por deixar Bas Dost demasiado isolado no ataque.

William Carvalho: Começou logo mal o encontro com o penálti falhado, mas esse foi apenas um momento negativo no meio de uma exibição de pouca qualidade. Muito lento na construção e na recuperação de bolas, esteve em clara noite não na Choupana.

As reações:

Jorge Jesus: "Boa atitude, mas faltou equilíbrio emocional"
Manuel Machado: "Empate sabe-me a pouco"

William Carvalho lamenta "anti-jogo" do Nacional

Rui Silva travou penálti de William: "Foi por instinto

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.