Sábado, 23 de outubro de 2021: o Sporting recebe o Moreirense e vence por 1-0 com um golo a meio da primeira parte, assinado por Sebastián Coates. Sábado, 30 de outubro de 2021: o Sporting recebe o V.Guimarães e vence por 1-0 com um golo a meio da primeira parte, assinado por Sebastián Coates.

Duas jornadas consecutivas, sete dias de distância, o mesmo desfecho, o mesmo herói em Alvalade. E, desta feita, o triunfo valeu até a ultrapassagem ao rival Benfica e a subida ao topo da classificação da I Liga, em igualdade pontual com o FC Porto.

Foi, de facto, o repetir de um filme que já tinham visto há uma semana, aquilo que os adeptos leoninos assistiram agora, na 10.ª jornada, na receção a outra formação minhota. Tal como na passada semana, o Sporting até marcou relativamente cedo, criou mais algumas oportunidades para dilatar a vantagem, mas não conseguiu fazer o segundo golo e acabou o encontro a ansiar pelo apito final, com o adversário a acreditar que podia chegar ao empate.

Esta foi a quinta vitória seguida do Sporting na I Liga, todas elas por apenas um golo de diferença (quatro por 1-0, frente a Estoril, Marítimo, Moreirense e V.Guimarães, uma por 2-1, em Arouca). Efetivamente, o Sporting não ganha um jogo na prova por uma margem superior a um golo desde 21 de Agosto (quando recebeu e venceu o B Sad por 2-0)!

Mas se, por um lado, se pode olhar para essa série pelo lado negativo de - seja por falta de eficácia ou por qualquer outra razão - o Sporting não estar a conseguir somar vitórias confortáveis na I Liga, também se pode olhar para o lado positivo. É que a turma de Rúben Amorim só sofreu um golo nas últimas cinco jornadas e mostra uma segurança tal a defender que faz com que se sinta confiante e confortável a partir do momento em que ganha vantagem.

Para isso, claro, muito tem contribuído e muito Coates: patrão a defender, herói a atacar. O uruguaio marcou pelo terceiro jogo consecutivo no conjunto de todas as competições, fazendo pela quarta vez na época o gosto...à cabeça. E sempre na sequência de pontapés de canto, que são uma arma cada vez mais mortífera para os adversários dos 'leões'.

Veja as melhores imagens do encontro

O jogo: Sporting marcou o golo da praxe pelo suspeito do costume e foi perdendo gás com o passar dos minutos

O encontro começou com uma grande defesa de cada um dos guarda-redes nos primeiros 15 minutos: Bruno Varela negou o golo a Pedro Gonçalves quando este surgiu isolado na sua frente, Adán respondeu com voo para a direita a travar um remate de longe de .

Mas, a partir daí, o Sporting cresceu. Colocou a bola no fundo das redes aos 27 minutos, por Pedro Gonçalves, na sequência de uma bonita jogada, mas não valeu porque Pablo Sarabia, que fizera a assistência, estava em posição irregular. O golo, porém, surgiria pouco depois, aos 31 minutos. E a forma como chegou não terá surpreendido ninguém: na sequência de um pontapé de canto e com a assinatura de Coates, de cabeça (desta feita depois de um desvio de Paulinho ao primeiro poste).

O Sporting, a praticar um futebol dominador e bastante agradável na última meia hora da primeira parte, ainda viria a voltar a marcar, agora por Pablo Sarabia, mas uma vez mais o atacante espanhol estava fora de jogo e o golo foi anulado. Depois, a segunda parte começou com uma perdida quase escandalosa de Matheus Nunes e, aos poucos, o Sporting começou a perder gás, permitindo que o V.Guimarães ficasse, por um par de ocasiões, muito perto de empatar, embora Paulinho (que voltou a ficar 'em branco') também tenha perdido pelo meio uma oportunidade clamorosa para 'matar' o jogo. Um jogo que acabou com os vimaranenses instalados no meio-campo leonino, mas sem conseguirem marcar.

O momento: Coates marca um golo que já todos vimos tantas vezes

Minuto 31: pontapé de canto a favor do Sporting, desvio (de Paulinho) ao primeiro poste e cabeceamento fulgurante de Coates para o fundo da baliza. Não era uma repetição de nenhum dos golos do uruguaio nos últimos tempos...era mesmo mais um golo, a papel químico, por exemplo, dos que marcou na Turquia ao Besiktas (sinal de que, em Alcochete, se continua a trabalhar muito bem as bolas paradas), que acabaria por ser o único do encontro e valer ao Sporting não só os três pontos, como a subida ao topo da classificação.

O melhor: mais um jogo sem sofrer golos para o Sporting

Dez jornadas disputadas, quatro golos sofridos. O Sporting tem, de longe, o melhor registo defensivo da I Liga e voltou a manter a sua baliza incólume na receção ao V.Guimarães. Foi a sexta vez que o Sporting não sofreu golos em dez jogos na presente edição da prova. Nos últimos cinco, só sofreu um. E, quando não se sofre golos, marcar apenas um basta para vencer...

O pior: mais um jogo sem marcar para Paulinho

Ponto prévio: Paulinho é um jogador extremamente importante na manobra do Sporting (quer ofensiva, quer até defensiva) e frente ao V.Guimarães até foi ele a fazer a assistência para o golo de Coates, um desvio providencial ao primeiro poste após o canto batido por Sarabia. Mas o facto é que o avançado ex-Braga somou mais um jogo sem marcar de leão ao peito. Enquanto Coates for marcando ao ritmo a que tem marcado, não será grande problema. Mas se a veia goleadora do defesa uruguaio se esgotar...

As reações

- Amorim lamenta que segundo golo não tenha aparecido, Coates diz que "trabalho é de toda a equipa"

- Pepa com "sabor amargo", Bruno Varela diz que o empate seria mais justo

O resumo

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.