Na passada sexta-feira, a direção do Sporting apresentou um balanço do trabalho desenvolvido desde que Frederico Varandas assumiu a presidência do clube de Alvalade, em setembro de 2018. Em conferência de imprensa, o presidente do Sporting falou da situação financeira do clube e da gestão feita pelo direção liderada por Bruno de Carvalho.

Segundo escreve o jornal desportivo ' O Jogo', os antigos administradores da SAD do Sporting não gostaram das acusações de Frederico Varandas e pretendem avançar com uma reclamação à presidente do Conselho de Administração da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

O mesmo jornal acrescenta que uma dessas mesmas reclamações - que devem ser feitas a título pessoal nomeadamente por Carlos Vieira e Rui Caeiro -, apresenta documentos que comprovam que os encargos com a sociedade de advogados MGRA, onde trabalhavam o ex-vogal Alexandre Godinho e o ex-sogro de Bruno de Carvalho foram de 596 mil euros, sem IVA, e não de 1,7 milhões de euros como revelado por Varandas.

Na mesma reclamação, a informação dada pelo atual presidente dos 'leões' é considerada "ilegítima, ilegal, incompleta, falsa e tendenciosa". Além disso, os antigos admnistradores da SAD leonina alegam que "foram prestadas informações confidenciais", "feitas afirmações que desvalorizam os ativos da sociedade" e "afirmações falsas" sobre "ganhos individuais" dos anteriores gestores, tudo isto sem a autorização da CMVM.

Recorde as principais declarações de Frederico Varandas:

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.