O presidente do Gil Vicente, António Fiúza, disse à Agência Lusa acreditar que a desistência do Sporting pelo futebolista Hugo Vieira «esteja relacionada com questões salariais», às quais o clube gilista «é completamente alheio».
«Então, agora chegaram à conclusão que têm jogadores, como o que emprestaram ao Olhanense [Wilson Eduardo], com as mesmas características. Se tinham essa opção, porque não a tomaram logo? Ou não sabiam o que tinham?», comentou António Fiúza, a propósito da noticiada desistência dos "leões" no concurso do jogador do Gil Vicente, Hugo Vieira.
Vários órgãos de informação veicularam na quarta-feira a informação de que o Sporting tinha praticamente tudo acordado com o jogador Hugo Vieira, de 23 anos, uma das revelações do atual campeonato, para a assinatura de um contrato válido por três épocas, depois de algumas divergências relativamente à duração daquele.
Alegadamente, o jogador, que é representado pelo empresário Carlos Gonçalves, que se encontra no Brasil, pretendia assinar um contrato de dois anos, enquanto o Sporting queria que o mesmo tivesse a duração de cinco, acabando por se chegar a um entendimento em torno de um vínculo válido por três anos.
Todavia, fonte oficial da SAD "leonina", hoje citada pela imprensa, deu conta de que o Sporting teria desistido do jovem promissor Hugo Vieira, convencido de que possui no seu quadro de opções com as mesmas características, nomeadamente Wilson Eduardo, emprestado ao Olhanense, que marcou mais dois golos (sete) do que o gilista (cinco) no campeonato.
Por outro lado, declarações públicas produzidas na quarta-feira pelo presidente do Gil Vicente, a dar o negócio como praticamente concluído, também teriam, segundo informações veiculadas na imprensa, «caído ma»” na SAD sportinguista.
«Limitei-me a dizer à jornalista que me ligou que o Hugo Vieira, além de bom jogador, era um excelente profissional e que, se fosse para o Sporting, iria ajudar o clube a ganhar», esclareceu António Fiúza, reiterando que o Gil Vicente «não é parte interessada» no processo e que «nada tem a ver” com o facto de as negociações “terem falhado».
Lembrou que Hugo Vieira «é um jogador livre» e que «há um ano lhe apresentou uma proposta para renovar o contrato», a qual, a ser aceite, o «tornaria no jogador mais bem pago do plantel», mas que este recusou, «como era seu direito».
António Fiúza rejeitou, também, a informação, veiculada na quarta-feira, de que o Sporting estaria na disposição de compensar financeiramente o Gil Vicente e o Santa Maria, clube que formou o jogador.
«Nunca se colocou a hipótese de o Sporting pagar qualquer verba compensatória pelo jogador, que está em fim de contrato e é livre. Isso é querer tapar o sol com a peneira», rematou o presidente gilista, que “não quer alimentar nem perder mais tempo” com o assunto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.