O administrador da SAD do Belenenses Carlos Soares destacou hoje as "condições de diálogo diferentes" que permitiram aos 'azuis' assinarem um princípio de entendimento com o Gil Vicente e encerrar o 'caso Mateus'.

Em declarações à agência Lusa, o dirigente confirmou que o diferendo que opõe os dois clubes será encerrado a breve prazo, "com o patrocínio da Liga de clubes", o que deverá permitir ao Gil Vicente participar no campeonato da I Liga a partir da temporada 2019/20.

"Desde que se soube da decisão do Tribunal Administrativo de Círculo de Lisboa, em maio de 2016, que o Belenenses manifestou total abertura para pôr fim ao processo. No entanto, na altura, o Gil Vicente tinha um presidente diferente, António Fiúza, que não concordou e as coisas não se fecharam ali. Agora, com outro presidente, houve condições de diálogo diferentes e o Gil Vicente mostrou abertura para um entendimento", afirmou à Lusa.

O dirigente da SAD do Belenenses confirmou que a decisão será tornada definitiva em breve e terá como "efeito prático o regresso do Gil Vicente à I Liga a partir de 2019/20, independentemente do desempenho que a equipa tiver até lá na II Liga".

Gil Vicente e Belenenses, representados pelos presidentes das duas SAD, Francisco Dias da Silva e Rui Pedro Soares, respetivamente, assinaram hoje um princípio de acordo sobre o 'caso Mateus', que permite aos gilistas a subida administrativa à I Liga portuguesa de futebol, em 2019/20.

O 'caso Mateus' remonta a agosto de 2006, quando o Gil Vicente, depois de ter assegurado a permanência, foi despromovido administrativamente à Liga de Honra, atual II Liga, devido à utilização do internacional angolano Mateus, quando o futebolista estava impedido por ter atuado com estatuto de amador, na época imediatamente anterior, ao serviço do Lixa.

Na altura, a Comissão Disciplinar da LPFP sancionou o clube minhoto com a descida de divisão, após uma queixa do Belenenses, que o Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) ratificou, impedindo ainda os gilistas de participarem na Taça de Portugal, assim como nos campeonatos de juniores e iniciados.

Na sequência da despromoção administrativa, o Gil Vicente recorreu das decisões para os tribunais administrativos, alegando a nulidade das sanções aplicadas, algo que foi confirmado pela sentença do Tribunal Administrativo de Círculo de Lisboa, proferida em 25 de maio de 2016.

No entanto, em julho de 2016, a SAD do Belenenses formalizou recurso desta decisão judicial, que, na altura, tinha levado LPFP e FPF a considerarem inevitável a subida dos minhotos à I Liga.

O Gil Vicente disputa atualmente a II Liga, pela terceira época consecutiva, depois de ter sido despromovido do principal escalão em 2014/15, ao qual tinha voltado em 2011/12, após a descida na ?secretaria'.

O Belenenses milita na I Liga ininterruptamente desde 2013/14, tendo disputado o segundo escalão durante três épocas, entre 2010/11 e 2012/13.

O avançado angolano Mateus, agora com 33 anos, joga no Boavista, da I Liga, depois de ter alinhado em clubes como Nacional, 1.º de Agosto e Arouca.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto